PIRANOT recebe pedidos desesperados por UTI em Piracicaba (SP)

PIRANOT recebe pedidos desesperados por UTI em Piracicaba (SP)

No meu grupo de interação no Facebook, publiquei a seguinte nota sobre a situação de hoje (08), da pandemia na cidade. Leia na íntegra:

 

UTI – TRÊS PEDIDOS NAS ÚLTIMAS HORAS / FAMÍLIAS SEM RESPOSTA DO ESTADO DE SAÚDE DOS SEUS DOENTES

Há alguns dias, quando vi a taxa de ocupação de UTI em 94%, passei a criticar publicamente o prefeito Luciano Almeida por sua péssima gestão. Sabia ali, naquele momento, que aconteceria o que ocorreu hoje. Estamos em 98% e famílias desesperadas, DE NOVO, pedindo UTI.

Eu trabalho alertando vocês há meses. Puxo a orelha quando acho que precisa, bloqueio negacionistas e etc. E com o prefeito, vi a necessidade de gritar para que ele não deixasse que o pesadelo de fevereiro se repetisse. Em 15 dias ele poderia ter feito mais? Creio que sim. Abrir mais leitos no Hospital Regional, ter assinado a construção do hospital de campanha antes – COM CERTEZA, ATÉ PORQUE ELE ANUNCIOU EM FEVEREIRO E PEDIU 45 DIAS PARA CONSTRUIR – 4 meses depois, na sexta, ele pediu mais 40 dias. Mas, para muitos, não há 40 dias para esperar. Não há!

Piranotenses, eu alerto. Eu cobro. Eu faço o que posso. Como diretor do PIRANOT, vejo o tempo todo números. São gráficos de faturamento, audiência, engajamento nas redes sociais. E, todo gestor, trabalha com números e projeções.

Luciano Almeida, como gestor, tem números que nós cidadãos não temos. Ele sabe bem antes de nós se o sistema precisa de mais leito ou não. Parece que ele não sabe gerir. É minha visão e, para quem precisa de UTI hoje, vou ter que te dizer: o prefeito não abriu leitos suficientes e o Hospital de Campanha, que ele prometeu em fevereiro, para ficar pronto no começo do mês 4, só ficará pronto, SE NÃO TIVER ATRASO, daqui 40 dias.

Sinto muito, me dói, mas sou jornalista. Vocês precisam pensar um pouco em quem foi eleito: vereadores e prefeitos e analisar o que deve ser feito. Estou limitado e exausto.

Sinto muito… de novo!

E, para encerrar, também estou sendo procurado por pessoas que não estão mais tendo resposta dos seus parentes internados. A alegação é de que a rede está colapsando e não há tempo para atualizar o estado clínico para eles. Estão tendo que optar por atender ou dizer se o paciente melhorou ou não. É correta a escolha de continuar o trabalho, mas imagine o desespero de quem tem um parente lá, internado, e não saber se está bem ou não…

Encerro dizendo: “EMPATIA com a dor do próximo. EMPATIA, a palavra da década!”.

MUITO JÁ FOI FALADO, MUITO FOI DEBATIDO E ETC. É HORA DE COBRAR OS ELEITOS.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também