Prefeito de Piracicaba assina contrato para construir "hospital de campanha"

Prefeito de Piracicaba assina contrato para construir “hospital de campanha”

O prefeito Luciano Almeida assinou o contrato para a construção do prédio anexo à UPA Piracicamirim, que terá 42 novos leitos para pacientes Covid-19. A obra deve ser iniciada em 15 dias e tem prazo de conclusão de 60 dias, a partir da ordem de serviço.

Foto: Christiano Diehl

Na tarde de hoje, sexta-feira, 04/06, foi publicado no Diário Oficial do Município (DOM) edital para dispensa de licitação e contratação da empresa Cesar Container Eirelli para a realização da obra, que terá investimento de R$ 5.350.692,61. A dispensa de licitação é possível devido à Medida Provisória 926/2020, que prevê a flexibilização sobre procedimentos para aquisição de bens, serviços e insumos, entre outros, destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da pandemia do coronavírus.

Apesar do prazo de 60 dias, a Secretaria de Saúde espera que a obra seja entregue antes do prazo estabelecido, por se tratar de uma construção modular, método considerado uma “solução inteligente” na arquitetura e engenharia para elaboração de projetos e construção de hospitais, escolas e residências de forma personalizada e ágil.

De acordo com a Secretaria de Obras, este tipo de construção é composta de uma ou mais partes, chamados de módulos. Neste sistema, os módulos são pré-fabricados na indústria e levados ao local de aplicação, onde ocorre a montagem final. As estruturas podem ser utilizadas com ou sem outros modelos de paredes interiores, tornando possível ajustar a utilização à evolução das necessidades do projeto, ou seja, no caso de um hospital, ampliando ou reduzindo seu espaço de atendimento.

Em abril, os secretários de Saúde, Filemon Silvano, e de Obras, Paulo Sérgio Ferreira da Silva, visitaram as cidades de Rio Verde e Goiânia, em Goiás, para conhecer o método de construção modular para obras públicas.

Filemon e Ferreira conheceram três estruturas na cidade de Rio Verde que utilizam a construção modular: o HCAMP – Hospital de Campanha Nelson Veloso, o Aeroporto General Leite de Castro (Jardim Floresta) e o Hospital Municipal Parque Bandeirante; em Goiás, visitaram uma escola pública municipal. “Achei a técnica inovadora e ela vem para ajudar no tempo de construção e viabilização de diversas obras. No nosso caso, no anexo da UPA Piracicamirim”, destacou o secretário de Saúde.

Segundo a prefeitura de Rio Verde, a estrutura do HCAMP levou 15 dias para ser montada, começou a funcionar em abril de 2020 já reaproveitando outra estrutura modular onde funcionava uma escola. Ainda, conforme a administração pública daquela cidade, após a pandemia, toda a estrutura será aproveitada para montar salas que atenderão às pastas da Educação e Saúde.

Para o secretário de Obras, conhecer novas tecnologias é importante para a cidade. “Viemos conhecer este sistema de construção modular, adaptá-lo a nossa realidade. É importante frisar que os materiais estruturais e de revestimentos utilizados na construção modular de um hospital são de elevada resistência térmica e mecânica, garantindo alta segurança contra arrombamentos e incêndios”, disse Silva.

De acordo com Filemon, futuramente, com a volta da UPA Piracicamirim no atendimento de urgência e emergência, após o fim da pandemia, o anexo será reformulado. “Vamos avaliar a demanda. O anexo pode servir para novos leitos de internação, salas de consulta, ter novas alas para exames diversos, sala de sutura e medicação, por exemplo. A intenção é que a unidade seja referência em qualidade no atendimento no município”, finaliza.

O prefeito Luciano Almeida ressalta a importância da construção do anexo. “Mais uma vez estamos vivendo um momento difícil de combate à doença no município, com 996 vidas perdidas para a Covid-19. Desde que começamos nossa gestão estamos trabalhando para ampliar as vagas para o tratamento dos contaminados pelo novo coronavírus e, com estas novas vagas de UTI e Enfermaria vamos dar um alento para os pacientes e seus familiares para que, se precisarem, ele tenham um leito disponível. A nossa luta não para e vamos seguir fortes no combate à Covid-19”, garante Luciano.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também