Baixa adesão na vacinação contra gripe em Piracicaba (SP) preocupa Secretaria de Saúde

O secretário de Saúde, Filemon Silvano, lembra que a vacinação contra gripe em meio à pandemia também é essencial

A Campanha de Vacinação contra Gripe (influenza) ocorre no município desde o dia 15 de abril e tem apresentado baixa adesão dos grupos prioritários, o que preocupa a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). De acordo com a Vigilância Epidemiológica, até 12 de maio, passagem de dados mais recente, foram aplicadas 15.850 doses de vacina contra gripe. Isso representa apenas 14,8% da meta da Campanha, que é vacinar 90% do público-alvo da 1ª e 2ª etapa, ou seja vacinar 106.778 de 118.643 pessoas.

A Campanha está na segunda etapa, quando são vacinadas crianças maiores de 6 meses até menores de 6 anos, puérperas (mulheres até 45 dias depois do parto), gestantes, trabalhadores de saúde, idosos (pessoas com 60 anos ou mais) e professores das redes municipal e particular de todos os ciclos, tanto ensino básico quanto superior.

Para receber a vacina contra gripe, essas pessoas devem procurar uma unidade de saúde (UBS, USF e CRABs) no período da manhã, das 8h às 12h. É preciso levar a carteirinha de vacinação e um documento de identificação com foto. Não será necessário fazer agendamento prévio. Os professores precisam ainda comprovar vínculo ativo com a instituição de ensino em que atua, como holerite, carteira de trabalho, contrato de trabalho ou crachá.

A vacina aplicada na campanha protege contra três tipos do vírus influenza, o vírus causador da gripe (A/Victoria/2570/2018 (H1N1)pdm09; A/Hong Kong/2671/2019 (H3N2); e B/Washington/02/2019 (linhagem B/Victoria)). “Essas são doenças que também podem apresentar quadros graves e podem ser fatais”, enfatiza o coordenador da Vigilância Epidemiológica, Moisés Taglietta.

O secretário de Saúde, Filemon Silvano, lembra que a vacinação contra gripe em meio à pandemia também é essencial. “Com a chegada do outono e inverno, é frequente que mais pessoas apresentem infecções respiratórias e precisem procurar o sistema de saúde, que já está sobrecarregado devido à Covid-19”, afirma. “Por isso, reforçamos que a população contemplada na campanha deve procurar uma unidade de saúde e tomar a vacina contra gripe. Essa também é uma forma de ajudar a vencermos essa pandemia”, complementa.

Taglietta explica que, ao tomar a vacina contra a gripe, a pessoa tem menos probabilidade de apresentar quadro de síndrome gripal, o que diminui, consequentemente, a necessidade de testagem e investigação da Covid-19.

Etapas

A campanha é composta por três etapas, que se estendem até julho. A terceira etapa, com previsão para começar em 9 de junho, vai contemplar pessoas com comorbidades e com deficiência (física, auditiva, visual, intelectual e mental ou múltipla); caminhoneiros, trabalhadores portuários e de transporte coletivo; profissionais das forças armadas, de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional; população privada de liberdade e jovens e adolescentes sob medidas socioeducativas. Em Piracicaba, de acordo com a SMS, a estimativa é vacinar 144.936 pessoas contra gripe nas três fases da campanha.

Informar Erro
Leia também