Lockdown anunciado por Piracicaba (SP) pode ser estendido para a região

Lockdown anunciado por Piracicaba (SP) pode ser estendido para a região

Das 23 cidades da nossa região, sete foram contra

Na manhã de hoje (24), prefeitos da região de Piracicaba (SP) se reuniram em uma vídeo chamada para discutir o lockdown anunciado por Luciano Almeida (DEM), nesta semana. Das 23 cidades, sete foram contra a ideia de estender o plano para a região.

Começando pelas cidades que NÃO vão fazer lockdown na nossa região a partir de sábado (27) estão Limeira (SP), Capivari (SP), Cordeirópolis (SP), Elias Fausto (SP), Rafard (SP), Rio das Pedras (SP) e Saltinho (SP).

as que vão fazer, anunciadas até este momento, 17h, são, além de Piracicaba, Charqueada (SP), São Pedro (SP), Santa Maria da Serra (SP), Águas de S. Pedro (SP) e Ipeúna (SP). As demais não se posicionaram ainda.

As medidas

Barreira sanitária nas entradas dos municípios, restrições das atividades – mesmo as essenciais – e reforço na fiscalização, tudo para evitar a circulação de pessoas e uma situação ainda mais crítica na saúde são as decisões anunciadas pelos prefeitos Thiago Silva (São Pedro), Josias Zani Neto (Santa Maria da Serra), Rodrigo Arruda (Charqueada), João Victor Barboza (Águas de São Pedro) e Diego Pinheiro (Ipeúna) após reunião na manhã desta quarta-feira, 24, em São Pedro. No encontro, os prefeitos falaram por chamada de vídeo com o chefe do Executivo de Piracicaba, Luciano Almeida.

“Chamei os prefeitos da nossa região para conversar e adotar medidas similares, especialmente no período da próxima semana, quando foi decretado feriado na capital e região do ABC, o que pode estimular a vinda de muitas pessoas para nossas cidades e sobrecarregar ainda mais nosso sistema de saúde, que já está no limite”, disse o prefeito Thiago Silva.

A importância de os municípios adotarem regras similares para o funcionamento das atividades foi o ponto comum entre os prefeitos. “É muito importante controlarmos o fluxo das pessoas para evitar o colapso dos serviços de saúde da região”, disse Zani.

Para João Victor Barboza, medidas diferentes adotadas podem estimular o fluxo de pessoas e da doença. “Essa reunião para a ação conjunta é fundamental, já que todos dependemos de Piracicaba, que é nossa referência em saúde. Temos que ter muito critério e cuidado com as medidas e é muito importante que sejam tomadas regionalmente”.

Rodrigo Arruda também destacou o papel do alinhamento entre os municípios. “O trabalho isolado neste momento é em vão. Só perderíamos tempo, sem conseguir baixar a curva. Não tem médicos, medicamentos estão em falta, não tem hospital, nem UTI. A população precisa entender que é necessário neste momento tomar esta atitude. Precisamos nos unir e todos os municípios falarem a mesma língua”, destacou.

Para Diego Pinheiro, é “extremamente importante” a união dos municípios, principalmente no bloqueio sanitário da entrada das cidades. “Se São Pedro fecha e Ipeúna não fecha, as pessoas acabam indo para lá e vice-versa. Sou totalmente favorável ao bloqueio sanitário nas entradas e que cada um adote medidas similares em relação ao comércio”, afirmou.

As medidas adotadas por Piracicaba, que anunciou ações restritivas a partir de sábado, dia 27, até o dia 4 de abril, vão servir de guia para os municípios, que agora aguardam a publicação do decreto municipal em Piracicaba para elaborar suas próprias legislações. O documento de Piracicaba deve ser publicado no final da tarde desta quarta-feira.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também