Connect with us

Piracicaba

Vereadores sobem o tom contra o governo Barjas Negri (PSDB)

Junior Cardoso

Published

on

Os vereadores Laércio Trevisan Jr. (PR) e Paulo Campos (PSD) ocuparam a tribuna da Câmara durante a 10ª reunião ordinária, na noite desta segunda-feira (11), para criticar a administração municipal e as altas contas de água recebidas por alguns clientes do SEMAE.

Foto: Gustavo Annunciato / Câmara de Vereadores de Piracicaba

Foto: Gustavo Annunciato / Câmara de Vereadores de Piracicaba

Trevisan

Começando por Trevisan, o vereador disse que a administração de Barjas está uma “bagunça geral”, um “desgoverno” e “não dá mais para defender o que vem acontecendo nesta cidade”. Enfatizou: “Precisa dar uma chacoalhada nesta Administração.”

Trevisan Jr. citou, inicialmente, os problemas divulgados na imprensa com os principais contratos de PPP (Parceria Público-Privada). “Piracicaba tem várias modas. A moda que o Semae deve, primeiro R$ 169 milhões, depois caiu para R$ 63 milhões e, agora, caiu para R$ 32 milhões, para indenizar a empresa (Águas do Mirante, responsável pela coleta e tratamento de esgoto)”, disse.

O parlamentar também lembrou da situação da PPP do Lixo, cujo contrato com a Prefeitura é em torno de R$ 730 milhões (a serem investidos em 20 anos). “A empresa está sem pagar os funcionários, mas recebeu (do Executivo), inclusive até aditamentos”, destacou, ao lembrar que apresentou um requerimento em que pede informações sobre quanto foi pago e se foram investidos os R$ 90 milhões prometidos que seriam colocados em um novo aterro sanitário.

Também destacou as críticas à Estapar, empresa responsável pelo sistema de estacionamento rotativo na região da Central, que, segundo ele, em cerca de oito meses já arrecadou R$ 2,6 milhões, ficando com 80% destes recursos.

“A cidade está abandonada, você não passa em um local em que não tenha galho jogado, colchão e sofá jogados, você não passa em um lugar em que não tenha problema”, disse, lembrando que, em algumas regiões, buracos no asfalto “está fazendo aniversário”. “Vou fazer um bolo, colocar na mesa, com copinho, refrigerante e comemorar o aniversário do buraco”, ironizou.

Paulo Campos

As reclamações de um expressivo número de pessoas referentes à alta na conta de água levaram o vereador Paulo Campos (PSD) a fazer um desabafo na tribuna, também durante a 10ª reunião ordinária. O parlamentar rebateu o posicionamento do presidente do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto), José Rubens Françoso, que, em audiência pública realizada na Câmara, considerou os casos relatados como pontuais.

“Esses aumentos absurdos que estão chegando às casas dos cidadãos não são pontuais. Algo está acontecendo e temos de fazer alguma coisa, temos essa prerrogativa”, disse Paulo Campos.

O vereador citou casos de três pessoas que viram saltar os valores que pagam mensalmente pela água: em um deles, a média de R$ 70 pulou para R$ 280, em outro foi de R$ 110 para R$ 400 e o terceiro aumentou de R$ 140 para R$ 630.

“Quando o presidente fala que a falta d’água é um problema pontual e esses aumentos absurdos também são, eu digo: infelizmente, não são! Nos quatro cantos da cidade há problemas. Não pode continuar como está”, declarou Paulo Campos.

Diretor, editor chefe e jornalista do PIRANOT. Começou a trabalhar em 2007, aos 14 anos, quando lançou seu primeiro blog na internet. Em 2011, criou o PIRANOT e fez parte, por três anos, de um programa da extinta TV Beira Rio. Estudou jornalismo na UNIMEP e assessoria de imprensa no SENAC. Fez estágio na Câmara de Vereadores e teve passagens por duas rádios de Piracicaba.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Este conteúdo está protegido por direitos autorais.