Homem é preso em Piracicaba (SP) após agredir esposa e sogra

Homem é preso em Piracicaba (SP) após agredir esposa e sogra

Mais um caso de violência doméstica foi registrado em Piracicaba nesta semana, desta vez na madrugada desta terça-feira (18), no bairro da Algodoal. De acordo com informações apuradas e registradas em Boletim de Ocorrência, policiais militares foram acionados por volta da 00h10 para atenderem duas vítimas de violência doméstica.

Chegando no local, policiais fizeram contato com A.C.F.M, de 29 anos e sua mãe S.A.C, de 51. Elas contaram que o agressor, casado com A.C.F.M, teria agredido e ameaçado ambas. Após ouvirem a versão dos fatos das vítimas, os policiais se dirigiram até a residência onde se encontrava o indivíduo e o prenderam. Eles observaram ainda que o homem estava com os pulsos cortados e com duas facas sujas de sangue ao seu lado. Ele recebeu voz de prisão e, em seguida, acabou encaminhado ao Pronto Socorro da Vila Rezende, onde foi medicado e permaneceu sob observação.

As vítimas manifestaram o desejo de representar criminalmente pelo crime de ameaça. O delegado de plantão deu ordem de prisão preventiva do indiciado.

Patrulha Maria da Penha

A Guarda Civil de Piracicaba divulgou, no dia 07 de dezembro, o balanço da Patrulha Maria da Penha entre os meses de janeiro e novembro de 2018 no município. De acordo com a GCM, nesse período houve 317 medidas protetivas, foram realizadas 8.169 rondas e efetuada 11 prisões em flagrante de agressores que descumpriram as medidas.

A Lei Maria da Penha defende as mulheres de qualquer forma de violência. Perante a lei, é considerada violência qualquer ação ou omissão contra a mulher que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual, psicológico e dano patrimonial.

Em Piracicaba, é a Guarda Civil que fica incumbida do patrulhamento. A GCM possui uma equipe composta de uma coordenadora e oito guardas civis, sendo quatro mulheres e quatro homens. O monitoramento é feito 24 horas, e, caso haja descumprimento de pena, o agressor é preso.

“[É importante que todas as mulheres tenham em mente] a importância de registrar um boletim de ocorrência quando estiver sofrendo agressão ou tenha sofrido, pois a medida protetiva se dá após o registro do boletim de ocorrência”, explica Lucineide Maciel, comandante da Guarda Civil.

 

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também