Coleta Seletiva fará campanha porta a porta em Piracicaba

.

Foto: Divulgação

Com o apoio da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente – Sedema, junto com o Grupo Multidisciplinar de Educação Ambiental – Gmea, Cooperativa Reciclador Solidário e da empresa Piracicaba Ambiental, a partir desta segunda-feira, (07), os moradores de Piracicaba passarão a receber a visita dos agentes de divulgação da Coleta Seletiva. O início do trabalho, definido em conjunto é o Bairro Alto,

Este trabalho porta à porta, está programado para acontecer em 70 bairros ao longo de dois anos, e tem por objetivo explicar aos moradores o funcionamento da Coleta Seletiva entre outras coisas: divulgar a programação semanal, esclarecer quais são os materiais potencialmente recicláveis e servir também para dirimir as dúvidas da população.

Para auxiliar na identificação, os agentes da divulgação, estarão uniformizados com camiseta, bonés e crachás e distribuirão folhetos e imãs de geladeira. Ao final da conversa, os munícipes serão convidados a responder um questionário. Estas respostas serão muito importantes para mapear a situação da Coleta Seletiva na cidade e contribuir para aumentar este desempenho.

Para a implantação deste serviço, foram contratadas dez pessoas (os chamados agentes de divulgação) pela empresa Pablo Sonsino Silva, vencedora da licitação para realização do trabalho porta a porta. Através de uma parceria contratual, com a Cooperativa Reciclador Solidário, o diretor da Pablo Sonsino optou pela contratação de cooperadas, ao invés de outras pessoas.

A empresa, especializada em gestão de pessoas, a partir de agora deverá definir a logística para a execução deste trabalho porta a porta. Esta contratação, faz parte de um projeto global, aprovado pelo Gmea, através da agência reguladora do contrato, a Ares PCJ, que inclui várias ações para incrementar a divulgação da Coleta Seletiva.

Ontem (03/08) aconteceu o primeiro treinamento ministrado pela bióloga do Núcleo de Educação Ambiental – NEA, Elisabeth Salles Nunes. Pablo Sonsino participou do treinamento e se mostrou surpreso e muito bem impressionado com as informações passadas pela bióloga do NEA e pelas cooperadas: “em princípio, era só uma parceria comercial, mas depois destas informações todas que foram passadas aqui, não tem como a gente não se envolver socialmente”.

O objetivo deste trabalho é a melhoria da consciência ambiental dos moradores de Piracicaba sobre a importância da separação dos materiais recicláveis do lixo doméstico, diminuir a quantidade de materiais potencialmente recicláveis, que diariamente ainda são descartados de forma errada.

O secretário, José Otávio Menten, considerou de extrema importância a participação dos cooperados nesta ação, por conta de sua proximidade com os moradores. Ele acredita que isso irá facilitar o trabalho e auxiliar na conscientização”.

A agente Stephanie Cristina dos Santos, trabalha com reciclagem há menos de 2 anos, considera este trabalho muito importante: “a gente aprende muito com o trabalho com reciclagem todos os dias”.

Maria Roseli Ramos da Silva, uma das cooperadas contratada, trabalha com reciclados há muito tempo e está a cerca de 8 meses na Cooperativa. Roseli comentou um dos problemas enfrentados pelas cooperadas diariamente com a mistura de materiais não recicláveis na coleta “ isso acaba atrasando muito nosso trabalho que deveria só ser a separação de recicláveis como vidro, papelão, papel. ”

Outra Cooperada, Renata de Souza Amaral, há cinco anos na Cooperativa, tem a mesma queixa, ao citar o descarte de rejeitos como fraldas geriátricas, papel higiênico e absorventes, comumente descartados junto com os recicláveis. Estes materiais são considerados rejeitos: “além de ser anti-higiênico” lembrou Renata, “dificultando nosso trabalho”.

Renata aproveitou para pedir aos moradores: “lembrem de passar uma aguinha na embalagem que está sendo descartada, evitando inclusive a aparição de ratos e moscas”. Ao encerrar, Renata fez um apelo: “não deixe de separar o material para reciclagem porque este material, quando é separado, encaminhado para a Cooperativa, além de ajudar o Meio Ambiente ainda vai gerar renda para nós catadores. ”

A bióloga do NEA finalizou: se o Bairro, através de alguma associação de moradores, tiver interesse por este tipo de treinamento que ministramos hoje aqui, poderá entrar em contato com o Núcleo de Educação Ambiental – NEA pelo telefone 3417-9494 [email protected]

Informar Erro
Leia também