PIB de Piracicaba cresce 33% em 12 anos e cidade passa a ser a 12° mais importante do estado

Piracicaba cresce 33% em 12 anos e cidade passa a ser a 12° mais importante do estado

.

Foto: Arquivo

Piracicaba subiu da 16ª para a 12ª posição, em 12 anos, no ranking de participação dos municípios no PIB (Produto Interno Bruto) do Estado de São Paulo – um crescimento de 33% (de 0,9% em 2002 para 1,2% em 2014). No período, a riqueza da cidade passou de R$ 4,6 bilhões para R$ 22 bilhões.

Os dados, que integram estudo da Fundação Seade sobre a atividade econômica paulista, foram divulgados no início desta semana e mostram 20 municípios com maior participação no PIB paulista, sendo que Piracicaba está à frente de cidades economicamente importantes: Santos, São Caetano do Sul, São José do Rio Preto, Taubaté, Paulínia, Diadema, Mogi das Cruzes e Bauru. São Paulo, Osasco e Campinas ocupam, respectivamente, as primeira, segunda e terceira posições.

A produção de biocombustíveis em Piracicaba passou da 38ª posição (em 2010) para a 10ª, em 2014. Além disso, a produção de veículos também deu um verdadeiro salto em quatro anos: da 34ª posição (em 2010) para a 3ª, em 2014.

Segundo o estudo da Fundação Seade, “O município de Piracicaba, entre outras empresas, tem plantas de duas importantes multinacionais, uma do ramo automobilístico (Hyundai) e outra de máquinas e equipamentos pesados para a construção civil (Caterpillar). A principal usina do maior produtor global de açúcar e álcool situa-se no município (Raízen), onde é fabricado também etanol de segunda geração (celulósico). O setor educacional tem forte presença, o que serve para atrair novas atividades econômicas de ponta, em que se destaca, em Piracicaba, a Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), favorecendo e impulsionando o desenvolvimento agropecuário e agroindustrial. Ao lado do campus universitário, está instalado o Centro de Tecnologia Canavieira, maior instituição de pesquisa em cana-de-açúcar do mundo. Existe, ainda, no município, uma grande unidade fabril de papéis reciclados, que também produz embalagens de papelão ondulado (Klabin).”

De acordo com o prefeito Barjas Negri, o período analisado não pegou o reflexo da crise econômica. “De 2002 a 2014, houve um crescimento bastante expressivo da economia brasileira e sempre que a economia vai bem, Piracicaba segue o ritmo”, disse Barjas. O prefeito afirmou ainda que a vinda da Hyundai e seus fornecedores também ajudou na melhora do PIB estadual. Também contribuiu para o desempenho a consolidação dos distritos Uninorte e Uninoroeste.

Barjas acredita no reaquecimento da economia. “Assim como Piracicaba sente o reflexo da crise, a retomada também começa por aqui, já que somos um polo de fabricação de máquinas e equipamentos”, disse. Ele salientou ainda que as exportações – como por exemplo da Caterpillar e da CJ – contribuíram para a cidade ter melhorado no ranking da participação dos municípios no PIB estadual.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também