95% aprovam Escola do Legislativo, aponta levantamento

95% aprovam Escola do Legislativo, aponta levantamento

.

Foto: Divulgação

Levantamento da Escola do Legislativo aponta aprovação de 95% dos participantes dos cursos e palestras promovidos nos três meses pela Câmara de Vereadores de Piracicaba. A avaliação positiva está relacionada ao conteúdo das aulas, qualidade das instalações, processo de inscrição, atendimento, recursos audiovisuais, carga horária e divulgação dos eventos.

O índice foi obtido pelo Departamento de Documentação e Arquivo da Câmara, responsável pelo suporte das atividades. Segundo o diretor do departamento e coordenador da Escola, Fábio Bragança, o levantamento compreende os três primeiros meses de atuação (entre abril e o final de junho), quando houve 781 inscritos de 36 cidades para os 18 cursos e palestras.

Os dados foram fornecidos pelos próprios participantes, que preencheram, ao final de cada atividade, uma ficha de avaliação. O índice de 95% equivale à classificação como bom/ excelente, num questionário que traz ainda as opções péssimo, ruim, regular e não opinou, que somam os outros 5%.

Na avaliação do presidente da Câmara, vereador Matheus Erler (PTB), num momento de economia delicada no país e com o mercado forçando cada vez mais a capacitação, a Escola do Legislativo é um ganho à população. “São conquistas de conhecimento e, com ele, chega-se a qualquer lugar. Para Câmara é uma satisfação acolher o público, que a partir das aulas e palestras fica mais próximo da realidade do Legislativo, que tem como lema a transparência em suas ações”, diz.

Foto: Divulgação

Fábio Bragança explica que as fichas de avaliação permitem que os responsáveis pela Escola do Legislativo mensurem ainda os cursos futuros. “Muito do que foi apontado como necessidade pelo público foi elencado como prioridade para os próximos cursos”, diz ele, citando ainda que a carga horária contempla os períodos da manhã, tarde e noite, o que potencializam as chances de participação de um público heterogêneo.

Para todos os 18 cursos do primeiro semestre, a procura sempre foi maior que o número de vagas ofertadas pela Câmara, o que permitiu aos realizadores criar uma lista de espera para o desenvolvimento das mesmas atividades ou similares no próximo semestre, que terá 34 palestras e cursos.

Outro ponto positivo constatado no questionário é a divulgação das aulas, via mailing, notícias e redes sociais, feita num raio de até 100 quilômetros de Piracicaba, mas com alcance até mesmo outros estados, como aconteceu com um participante de Resende, no Rio de Janeiro. “Perto de 50% do público se interessou por ter recebido a informação por e-mail. Outros 30% acessaram as informações no Facebook da Câmara e os demais conheceram o trabalho pelo site oficial e divulgação boca a boca.”

PARTICIPAÇÃO – A primeira atividade da Escola do Legislativo aconteceu em janeiro, com a aula-magna de Roberto Lamari, advogado e fundador do órgão na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e na Câmara Municipal de São Paulo, e o professor de Direito Ambiental Paulo Affonso Leme Machado. Os cursos e palestras começaram em abril.

De todos os cursos ofertados, Bragança cita o que aconteceu entre abril e junho, com aulas semanais, sobre “Desenvolvimento Comportamental e Competência Política”. Na ocasião, participaram 35 vereadores, sendo sete de Piracicaba e os demais de Águas de São Pedro, Brotas, Cerquilho, Charqueada, Hortolândia, Laranjal Paulista, Limeira, Santa Bárbara d’Oeste, Santa Gertrudes, São Pedro e Sorocaba.

A Escola está prevista na Constituição Brasileira para a promoção de atividades de ensino, pesquisa e extensão de servidores públicos, agentes políticos, lideranças comunitárias e cidadãos de forma geral. Ela foi instituída na Câmara de Piracicaba pelo decreto legislativo 63, de dezembro de 2014, de iniciativa do então vereador João Manoel dos Santos.

As condições para o seu funcionamento aconteceram a partir de janeiro deste ano, quando o presidente da Câmara, vereador Matheus Erler, definiu a estrutura organizacional, composta pela diretora, vereadora Nancy Thame (PSDB), pelo coordenador Fábio Bragança e pela secretária Fernanda Micossi da Cruz e Silva.

Todas as atividades são gratuitas e certificadas. Como forma de ampliar as possibilidades de cursos, a Câmara firmou termo de cooperação com o Colégio PoliBrasil, Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) e Brasil Education.

Entre os temas abordados estiveram justiça restaurativa, cidadania, tecnologias abertas à educação, oficina da escrita, jornalismo no ambiente Legislativo, mestre de cerimônias, hepatite C, iniciação política, técnico legislativo, desenvolvimento comportamental e competência política.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também