Com Projeto, Dedini reaproveita 95% da água captada de rio

.

Foto: Divulgação

Os números não deixam dúvidas sobre a assertividade do Projeto Água. Desde 2002, quando começou a ser implantado na Fundição da Dedini Indústrias de Base, o projeto conseguiu reduzir 29,5% o volume de água captada do Rio Guamium, sendo que o reaproveitamento ou reuso dessa água utilizada na produção chega a 95%. No mesmo período, a empresa deixou de gerar/lançar 142.500 m³/mês de efluentes. O investimento para esse salto de qualidade foi de R$ 2,4 milhões em 2002.

A Unidade Fundição Dedini constitui uma das maiores e mais modernas do gênero instaladas no Brasil. Localizada em Piracicaba, foi construída utilizando padrões modernos de

processos de produção, de layout e de equipamentos de última geração.

No ano em que a Fundição começou a ser construída, 2001, o Conselho e a diretoria da empresa decidiram pela implementação desse projeto ambiental, importante para o que se projetava em termos de capacidade produtiva: até 40 mil toneladas/ano e peças de até 45 toneladas.

“A opção pelo projeto foi motivada pelo fato de o processo de fundição demandar a utilização de uma quantidade significativa de água, especialmente para o resfriamento dos fornos de fusão. Por isso, ele foi tratado desde o início como prioridade”, comentam Sinval Marcos de Carvalho Loyola, superintendente de Negócios da Fundição, e Igor Serra, do Meio Ambiente. Toda a água utilizada pela Fundição provém da Microbacia do Guamium.

ESTRUTURA – Segundo Loyolla, o Projeto Água tem como estrutura fundamental as áreas social, econômica e ambiental, envolvendo a preservação da Microbacia do Guamium, uma das principais integrantes da bacia hidrográfica do município de Piracicaba.

Para tanto, segundo Igor A. Serra, a Dedini instituiu um grupo de trabalho, com responsabilidade pelo estudo, pelo desenvolvimento e pela implementação do projeto, que envolveu várias ações, como o sistema de reuso de água para resfriamento dos fornos fusores; a implementação de sistema de captação da água da chuva; a recuperação da barragem de captação de água do Ribeirão Guamium.
Outras ações adotadas contempladas pelo projeto foram o reflorestamento de áreas que compõem a Microbacia do Guamium, com o plantio de 12.944 mudas, numa área recuperada de 97.787,91 m²; o mapeamento da microbacia, a construção de viveiro sustentável para a produção de mudas e a adequação e melhoria da ETA (Estação de Tratamento de Água).

No segmento educacional, foram trabalhadas em paralelo a conscientização ambiental de colaboradores, terceiros e comunidades, palestras em escolas da cidade e a construção da “Sala Verde”, um espaço dedicado a treinamentos de conscientização ambiental dentro da empresa.

“Todos os anos, na Semana do Meio Ambiente, lembramos dos resultados desse trabalho bem elaborado e do quanto ele tem impactado sobre o nosso universo e sobre as comunidades que, da mesma forma que nós da Dedini, são atendidas pela Microbacia do Guamium”, dizem Loyolla e Serra.

O projeto teve várias premiações, desde sua implantação. Já recebeu o Prêmio Fiesp de Conservação e Reuso da Água e, no ano passado, foi indicado para a “Medalha Chico Mendes”, conferida pelo Instituto Internacional de Pesquisa e Responsabilidade Socioambiental Chico Mendes.

Preocupada com a preservação dos recursos hídricos, a Dedini também participa, como convidada, da Câmara Técnica de Outorgas e Licenças do Comitê das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

Informar Erro
Leia também