Posto de combustíveis ‘fecha as portas’ e não paga funcionários em Piracicaba

.

Seis trabalhadores estão desesperados a espera de pelo menos a liberação por parte da justiça do FGTS (Fundo de Garantia do Trabalhador Social) e do seguro desemprego após o fechamento de um posto de combustíveis. O dono sumiu e não pagou ninguém.

De acordo com as vítimas, no dia 18 de abril eles chegaram para trabalhar no posto que ficava na Rodovia Cornélio Pires, que liga Piracicaba à Saltinho, e encontraram tudo fechado. Desde então começou uma briga judicial já que o dono sumiu e não pagou ninguém. Uma advogada foi contratada.

Dos seis funcionários, cinco são frentistas e um era guarda. O mais velho tinha quatro anos de empresa e o mais novo apenas três meses.

Diante da situação, as vítimas se encontram desempregadas e sem nenhum benefício já que o patrão não deu baixa na carteira. A advogada contratada por eles tenta na justiça a liberação do FGTS e do seguro desemprego para posteriormente conseguir o pagamento dos dias trabalhados.

Diante da grave crise que enfrenta o país, passou a ser normal em Piracicaba o fechamento de postos de combustíveis. Só nas avenidas Centenário e Carlos Botelho, no bairro São Judas, três fecharam as portas nos últimos meses.

Informar Erro
Leia também