Barjas Negri é eleito presidente da Aglomeração Urbana de Piracicaba

Barjas Negri é eleito presidente da Aglomeração Urbana de Piracicaba

.

Foto: Justino Lucente / CCS

Em evento realizado na manhã de ontem (15), no Auditório do Parque Tecnológico de Piracicaba, o prefeito Barjas Negri foi nomeado presidente do Conselho de Desenvolvimento da Aglomeração Urbana de Piracicaba, tendo como vice o prefeito de Elias Fausto, Maurício Baroni. A eleição foi realizada por prefeitos e representantes dos 23 municípios que compõem a Aglomeração. Também durante o evento, foi discutida a política adotada para destinação final dos resíduos sólidos dos municípios. Participaram o secretário estadual de Energia e Mineração, João Carlos de Souza Meirelles, o subsecretário de Assuntos Metropolitanos, Edmur Mesquita, o deputado estadual, Roberto Morais, e o secretário de Estado do Emprego, José Luiz Ribeiro.

Ao ser eleito, Barjas agradeceu a confiança e se dispôs a trabalhar com os demais prefeitos para articular, junto ao governo de Estado, questões voltadas às problemáticas da saúde, segurança pública e duplicações de estradas regionais. “Temos, infelizmente, um problema de falta de leitos nos hospitais de Piracicaba, e nosso objetivo é pedir ajuda ao Estado para criar situações satisfatórias nesse setor. Outras intervenções que faremos serão relacionadas à segurança pública e às duplicações das estradas da nossa região”, disse Barjas.

Foto: Justino Lucente / CCS

RESÍDUOS SÓLIDOS Com a presença do secretário estadual de Energia e Mineração, João Carlos de Souza Meirelles, os prefeitos discutiram a política adotada para destinação final dos resíduos sólidos da Aglomeração Urbana de Piracicaba. “Nosso papel é a discussão da garantia, a longo prazo, de um contrato que permita tratar os resíduos e destiná-los à geração de energia. Iremos propor um estudo técnico para a região, que permita definir a real necessidade de uma nova usina ou a construção de outras novas para o descarte do lixo do Aglomerado”, disse Meirelles.

O secretário também explicou que a articulação para o descarte do lixo deve ser resolvida entre os municípios. ”É imprescindível formalizar um termo jurídico para criar um vínculo à destinação do resíduo sólido urbano a longo prazo”, reforçou.

Os trabalhos serão coordenados pela Emplasa (Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano), que fará um levantamento da quantidade de lixo produzido nos 23 municípios.

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também