Travesti que mandou matar Abelha é condenada a 15 anos de prisão

Travesti que mandou matar Abelha é condenada a 15 anos de prisão

Ela foi morta em 2013 - Foto: Valter Martins / Piracicaba em Alerta
Ela foi morta em 2013 – Foto: Valter Martins / Piracicaba em Alerta

Foi condenada em primeira instância a 15 anos de prisão a travesti Mirella (Wellington Princy de Souza e Silva). Ela teria mandado matar em 2013 a também travesti Abelha (Adilson Felippe).

O julgamento aconteceu no Forúm de Piracicaba na tarde de ontem e foi presidido pelo juiz Luiz Antônio Cunha. A justiça entendeu que o crime contém dois agravantes. O primeiro é o fator surpresa e o segundo é motivo fútil.

Foto: Valter Martins / Piracicaba em Alerta
Foto: Valter Martins / Piracicaba em Alerta

O crime ocorreu em 2013 quando Abelha, que trabalhava como garota de programa, atendeu dois homens que se passaram por clientes no bairro Boa Esperança, região do distrito de Santa Terezinha, periferia norte de Piracicaba. Eles executaram a mulher a tiros sendo um deles dentro da boca. Os investigadores acreditam que a motivação para a morte foi a disputa por pontos de prostituição na cidade.

O advogado da condenada disse que vai recorrer da sentença, mas até lá Mirella, que já estava presa, voltou para o presídio.

Foto: Valter Martins / Piracicaba em Alerta
Foto: Valter Martins / Piracicaba em Alerta

O repórter cinematográfico Valter Martins, que presta serviço ao PiraNOT, acompanhou este caso. Ele entrou no local onde a travesti foi morta pouco depois do crime. Um amigo, bastante emocionado, falou sobre a vítima. Assista!

Informar Erro

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo.

Leia também