Fórum discutirá a desburocratização para abertura de empresas em Piracicaba

Acontece no próximo dia 23, das 8h às 12h, no auditório do pavilhão 14 do Engenho Central, o Fórum para Abertura Desburocratizada de Empresas em Piracicaba.

O Fórum – que tem organização da Prefeitura, por meio das Secretarias Municipais de Obras (Semob), Finanças (Semfi), Desenvolvimento Econômico (Semdec) e Governo (SMG) e apoio da Associação Comercial e Industrial de Piracicaba (Acipi), Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas, de Material Elétrico, Eletrônico, Siderúrgicas e Fundições de Piracicaba, Saltinho e Rio das Pedras (Simespi) e Sindicato dos Contabilistas de Piracicaba (Sincop) – tem a intenção de discutir formas de desburocratização de abertura de empresas no município e de esclarecimento da responsabilidade de cada ente federativo neste processo.

Conforme explica o vice-prefeito e secretário municipal de Governo e de Desenvolvimento Econômico, José Antônio de Godoy, a redução da burocracia interna da Prefeitura em todas as áreas e a informatização, do que for possível, do serviço, está inserida no Plano de Governo da Administração. “Isso vai acontecer na Obras, na Finanças e, a abertura de empresa, se insere nesta desburocratização. Por isso a ideia do Fórum, para reunir usuários do serviço e também os operadores dele.”

Esta intenção de troca para elaboração de diagnóstico, que elenque as dificuldades de ambos os lados, está no formato que o Fórum terá. Serão três painéis para discutir o assunto.

O primeiro deles contará os usuários do serviço, que poderão externar as dificuldades sentidas no processo de abertura das empresas: Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Simespi e Sincop integram esta primeira mesa.

A segunda e a terceira são de quem está do lado de cá do balcão e são responsáveis por definir as regras para que as empresas sejam abertas e quais condições devem cumprir para realmente funcionarem em condições adequadas e dentro da legalidade. Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros e Secretaria Municipal de Trabalho e Renda (Semtre) integram o segundo e Secretaria Municipal de Obras, de Finanças e Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), o terceiro.

Ao final do evento, será elaborado documento que contenha as competências de cada ente federado e também as sugestões propostas para desburocratização. “Feito isso, montaremos uma comissão interna da Prefeitura para ver a viabilidade das mudanças e assim melhorar o processo de abertura de negócios na cidade”, frisou Godoy.

O Fórum é aberto para todos os interessados em saber como se abre uma empresa na cidade, mas tem foco em empresários, grandes, pequenos e micros e também para microempreendedores individuais (MEI) e contabilistas.

Por | 13/03/2017|

Usina de Inovação Monte Alegre, em Piracicaba, recebe as primeiras empresas

Foto: Divulgação

Localizada no Bairro histórico Monte Alegre, em Piracicaba, onde foi lançada em dezembro de 2016, a Usina de Inovação que promete recuperar o patrimônio arquitetônico para transformá-lo em um ambiente de negócios de alto impacto voltado, a empresas que atuam no desenvolvimento de tecnologias para o mercado agrícola, confirmou a chegada de seus primeiros empreendimentos.

Entre as empresas já confirmadas estão nomes de destaque dentre as chamadas AgTechs como a SP Ventures, Aegro Sistema de Gestão Agrícola, Horus Aeronaves e Sintecsys. Todas as quatro companhias estão migraram para Piracicaba para se instalar na Usina de Inovação.

“Em pouco mais de 70 dias de operação, os primeiros resultados obtidos são positivos e muito satisfatórios. Além das empresas de serviços de gastronomia, paisagismo, comunicação, eventos e de consultoria, já instaladas no local, o empreendimento celebra a chegada de empresas dedicadas à agricultura de precisão e tecnologia o campo”, afirmou Balu Guidotti, idealizador da Usina de Inovação. “Com isso, ratificamos a cidade como centro de aglutinador deste segmento e a transformação do Bairro Monte Alegre começa a ganhar uma velocidade animadora”, completou Balu.

Para Thiago Lobão, sócio do Fundo SP Ventures, estar em Pira é manter-se próximo das melhores AgTechs do mercado, podendo realizar um trabalho de aceleração de negócios mais próximo e eficiente para nossos investidores.

“Nesta rota de crescimento, nada melhor do que abrir uma unidade de negócio no coração da geração de conhecimento no agronegócio, que é Piracicaba. E, estar próxima a Esalq é beber água da fonte de conhecimento acadêmico e de inovação no agro brasileiro”, disse.

Com sua sede instalada em São Paulo, coração financeiro do Brasil, esse fundo definiu uma estratégia de investimentos bastante intensa em tecnologias para o agronegócio e, atualmente, é reconhecido como um dos principais investidores em tecnologia agrícola no país.

“Piracicaba possui localização estratégica dentro do Estado de São Paulo, pois aqui se encontram os principais agentes de negócio no setor. Além disso, mais recentemente, a cidade se transformou em protagonista no acolhimento de novas tecnologias no Agro, abrigando diversas AgTechs, companhias que são nosso principal foco de investimento”, afirmou.

“Vejo que a Usina de Inovação já nasceu consolidada como o centro das Agtechs. Com infraestrutura superior, inclusive, se comparada aos grandes centros globais de desenvolvimento de tecnologias agrícolas, como Salinas e St. Louis, nos Estados Unidos. O ambiente propício à inovação, ao lado de um centro acadêmico como a USP, é um diferencial claro que só servem de motivação para que o agronegócio brasileiro seja cada vez mais qualificado tecnicamente, exportador de commodities e também de tecnologia”, completou Lobão.

Já para Rogerio Cavalcante, da Sintecsys, o ambiente instalado no Monte Alegre é propício para o surgimento de inovações tecnológicas com devida e comprovada relevância. “Trata-se de uma oportunidade ímpar no Brasil, inclusive, graças ao fato de estar ligado geograficamente ao lado de um dos maiores centros acadêmicos de pesquisa do Brasil, que é o campus da Esalq”, lembrou o gerente comercial da empresa que tem sede em Jundiaí/SP.

“É louvável existir um lugar onde se concentre tudo em um único espaço, pois isso estimula qualquer e todo processo criativo, ao possibilitar a qualquer empreendedor ter acesso a toda infraestrutura de trabalho necessária a seu negócio. Podendo ainda, trocar experiências diárias entre os integrantes do polo, em um ambiente propício”, ressaltou Cavalcante.

Segundo Fabrício Hertz, diretor da Horus Aeronaves, que tem sede em Florianópolis, o intuito da empresa em instalar parte da empresa em Piracicaba foi motivado pelo fato de haver um ambiente muito favorável ao desenvolvimento de tecnologias agro na região. “Acreditamos que o interior de São Paulo, em especial essa região, possui uma agricultura muito desenvolvida, fortalecida e extremamente apta a adotar de técnicas revolucionárias nos métodos produtivos”, disse ao explicar sua expectativa.

 

Por | 13/03/2017|

Antigo Clube Atlético é demolido para dar lugar a supermercado e condomínio em Piracicaba

Foto: Júnior Cardoso / PIRANOT

A Rede de Supermercados Pague Menos em parceria com a Guidotti Gestão de Empreendimentos serão responsáveis pela construção de um grandioso empreendimento comercial e residencial, localizado no coração da Vila Rezende, em Piracicaba. Com aproximadamente 14 mil metros quadrados, o terreno, que por muitos anos pertenceu ao Clube Atlético Piracicabano, irá abrigar um complexo que unirá uma ampla e moderna loja Pague Menos ao condomínio residencial com centenas de apartamentos com vista para o Rio Piracicaba. No total, o investimento está estimado em R$ 170 milhões.

Após decisão sobre a finalidade do projeto, que englobaria um supermercado, os proprietários da Guidotti Gestão de Empreendimentos visitaram algumas lojas da Rede Pague Menos para ter acesso ao serviço oferecido, a estrutura e a potência da marca. Com isso, tiveram a certeza para fechar a parceria entre as empresas.

Conforme explicou o arquiteto responsável pelo projeto, André Tabith Costa, da Urbem Arquitetura e Urbanismo, o foco é fugir do padrão e oferecer inovação aos clientes e moradores da região. O supermercado terá um estacionamento subterrâneo com 350 vagas, esteira rolante e elevador. Além disso, haverá um espaço comercial destinado a lojas satélites e também quiosques. “Desenvolvemos um espaço que seja agradável ao público, com jardins, arborização, climatização, similar inclusive a um shopping”, explicou Costa.

Segundo José Luiz Guidotti Junior, proprietário da Guidotti Gestão de Empreendimentos, a região da Vila Rezende é bem ampla e a população local tem a necessidade de um empreendimento deste porte. “É um projeto muito convidativo, pois um supermercado como este vem para valorizar o bairro e complementar os serviços ali oferecidos. Tudo isso, incluindo o condomínio residencial resulta na melhoria da qualidade de vida do bairro”, disse.

Ambas as empresas acreditam que é um bom momento para investir, principalmente com objetivo de fomentar a economia local. “Acho que um projeto como este melhora a competitividade da cidade. O interessante é que a própria concorrência sairá da zona de conforto e isso acaba por movimentar toda a cidade. Assim, todos saem ganhando”, enfatizou o também proprietário da Guidotti Gestão de Empreendimentos, Marco Antonio Guidotti.

Foto: Júnior Cardoso / PIRANOT

Para a Rede de Supermercados Pague Menos a parceria já é tida como sucesso. A empresa inaugurou sua primeira loja na cidade em 2014, no distrito de Santa Terezinha, mas o objetivo empre foi abrir mais uma unidade. Assim que a proposta apareceu, os responsáveis pelo Departamento de Expansão elaboraram um estudo de viabilidade e implantação, que foi aprovado com êxito pela presidência. “Estamos muito satisfeitos e com alta expectativa para expandir

nosso negócio em uma cidade tão promissora e acolhedora como Piracicaba. Há dois anos fomos recebidos muito bem aqui e por isso decidimos continuar investindo”, concluiu um dos presidentes-proprietários da Rede, Laerte Santichio.

Por | 12/03/2017|

Câmara de Piracicaba retoma fórum e lança campanha contra reforma da Previdência

Foto: Fabrice Desmonts

A Câmara de Vereadores de Piracicaba lançará no próximo dia 17 de março uma ampla campanha contra a reforma da Previdência, apresentada pelo governo federal e que tramita no Congresso Nacional. A proposta inclui a busca por parcerias com entidades de classes contrárias ao texto que propõe mudanças no pagamento de aposentadorias no país e ainda deverá culminar com abaixo-assinado de repúdio às alterações a ser encaminhado a Brasília.

“O papel do Legislativo é mostrar à população de que não existe déficit previdenciário e que há condições de fazer gestão fiscal sem criar um impacto tão forte na vida de todos os brasileiros”, explica Kátia Mesquita, diretora do Departamento Administrativo, que articula com os outros setores da Casa de Leis o desenvolvimento de ações para a campanha contra a reforma da Previdência.

A mobilização também retoma, com maior frequência, o Fórum Permanente de Direito Previdenciário e Defesa dos Direitos do Idoso (FPDDI), criado no Legislativo piracicabano em 6 de julho de 2014, a partir do decreto legislativo 25. “As atividades desenvolvidas na campanha contra a reforma da Previdência serão articuladas dentro do fórum permanente”, explica Kátia Mesquita, ao enfatizar o papel institucional das ações contra a proposta do governo federal.

Assinado pelo ex-presidente da Câmara, João Manoel dos Santos, o FPDDI tem a finalidade de supervisionar, avaliar e trazer ao Legislativo as discussões sobre o fomento de políticas públicas e a defesa dos direitos da pessoa idosa, além de promover discussões sobre os temas voltados à Previdência Social, assim como estimular a aproximação entre os representantes de entidades que defendem os direitos de aposentados e pensionistas.

A Câmara tem recebido, nas últimas semanas, sindicalistas contrários à reforma da Previdência. Já usaram o espaço da Tribuna Popular, durante as reuniões ordinárias, os líderes sindicais Fanio Luiz Gomes (no úlitmo dia 23), Milton Costa (2) e Francisco Pinto Filho, o Chico (6). Nesta quinta-feira (9), o Legislativo receberá o sindicalista Wagner Oliveira, novamente tratando sobre os impactos negativos do plano do governo federal.

Desde o ano passado, quando a proposta da reforma da Previdência foi enviada à Câmara dos Deputados, o Legislativo piracicabano a tem questionado, como ocorreu na aprovação da moção de apelo 241/2016, de autoria do presidente Matheus Erler (PTB). No texto, o parlamentar já alertava que o “Executivo federal lança mão de uma proposta que causará um verdadeiro desmonte da Previdência Social”.

A moção de apelo, aprovada no plenário da Casa de Leis, considera o texto do governo federal “o maior ataque aos direitos sociais emanados da Constituição de 1998”. Elenca, ainda, “drásticas modificações”, como a uniformização do tempo de contribuição e idade (sem diferenciar os gêneros), com a elevação da idade mínima, assim como a extinção das aposentadorias especiais das atividades de risco e dos professores, entre outras propostas que penalizam o trabalhador.

.

ENTIDADES – A campanha contra a reforma da Previdência proposta pela Câmara de Vereadores de Piracicaba buscará o apoio das entidades de classes da cidade. O Conespi (Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba) aderiu às ações na segunda-feira (6) à noite, quando o presidente da entidade, Francisco Pinto Filho, o Chico, se reuniu com Matheus Erler, presidente do Legislativo.

Na manhã de terça-feira (7), foi a vez de o presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Piracicaba, Jefferson Goularte, também definir o apoio à campanha. Na oportunidade, ele conversou com Matheus Erler e oficializou a adesão da entidade.

“Pretendemos ampliar ainda mais este apoio”, explica Kátia Mesquita. A diretora do Departamento Administrativo reforça o convite para que as entidades enviem representantes na reunião do próximo dia 17, quando a campanha será lançada, a partir das 14h, no plenário “Francisco Antonio Coelho”.

Por | 09/03/2017|

Governo divulga calendário para saques em contas inativas do FGTS

Foto: Arquivo

O governo divulgou o calendário de saque das contas inativas do Fundo de Garantia. A ordem segue a data de nascimento. O economista Samy Dana dá detalhes sobre quem tem direito ao benefício.

As contas inativas do FGTS são aquelas de trabalhadores que pediram demissão e não puderam sacar o dinheiro. O acesso a esse recurso só poderá ser feito pela pessoa que deixou o emprego até 31 de dezembro de 2015.

O calendário é o seguinte:
– saque em março para trabalhadores que nasceram em janeiro e fevereiro
– saque em abril para trabalhadores que nasceram em março, abril e maio
– saque em maio para trabalhadores que nasceram em junho, julho e agosto
– saque em junho para trabalhadores que nasceram em setembro, outubro e novembro
– saque em julho para trabalhadores que nasceram em dezembro

No ano passado, o governo tomou a decisão de liberar o dinheiro retido nas contas inativas do FGTS para tentar estimular a economia. A expectativa é que 31 milhões de pessoas tenham direito ao saque, o que pode resultar em uma movimentação de cerca de R$ 41 bilhões. O anúncio oficial das datas do calendário deve ser feito nesta terça-feira (14) pela Caixa Econômica Federal.

Por | 14/02/2017|

Expectativa de varejistas de Piracicaba cai no início do ano

O ICV-P (Índice de Confiança no Varejo de Piracicaba) correspondente a janeiro caiu 2,13% na comparação com o trimestre anterior, compreendido pelos meses de outubro, novembro e dezembro, passando de 76,61 pontos para 74,98. O resultado negativo, no entanto, não deve atrapalhar a tendência de alta para os próximos meses, segundo avaliação da Ejea/USP (Empresa Junior de Economia e Administração) – responsável pelo cálculo do índice, realizado com a parceria da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba).
“Essa pequena queda em janeiro pode ser considerada normal. Isso porque o ano está começando, e é natural que os varejistas demonstrem um pouco de receio, visto que ainda é necessário observar como irão se comportar as variáveis econômicas durante o ano”, avalia Paulo Roberto Checoli, presidente da Acipi.
Apesar do pequeno recuo, um crescimento bem representativo pode ser observado no comportamento interanual do ICV-P. Em janeiro de 2016, o indicador registrava 55,03 pontos, valor 36,25% inferior aos 74,98 pontos registrados na medição de janeiro de 2017.
“O cenário que vemos hoje, de maneira positiva, não se assemelha ao que se via no ano passado. Isso pode nos dar alguns indicativos de que as coisas podem estar voltando a melhorar”, opina Checoli.
Na decomposição do ICV-P: o ICA (Índice de Confiança Atual) observou uma queda de 12,52% e o ICF (Índice de Confiança Futura) obteve resultado positivo de 1,87%.
“A melhor notícia para o ambiente do consumo continua sendo o arrefecimento da inflação. Segundo expectativas do Banco Central, ela deve caminhar para o patamar de 4,70% para o ano corrente. Isso é bom para o ambiente de consumo. Além disso, segundo relatório do BC, a expectativa para produção industrial manteve-se estável desde o último mês. Não demonstrou avanço, tampouco recuou. Se continuar a manter níveis de estabilidade nos próximos meses, se não voltar a regredir, pode vir a ‘dar pistas’ de que os cortes no emprego deixem, também, de crescer”, pondera Checoli, que volta a alertar: “é preciso, no entanto, observar como a economia irá se comportar nos próximos meses para vermos se essas melhoras na conjuntura do País irão se confirmar ou não”.

ICV-P – O indicador tem o objetivo de divulgar aos empresários, setor público e sociedade as expectativas dos lojistas em relação à economia regional, ao segmento em que atuam e às suas próprias empresas.
Por | 10/02/2017|

Barjas propõe redução de salários, demissões e corte de gratificação de comissionados

Foto: Foto: Davi Negri / Câmara Municipal de Vereadores de Piracicaba

O prefeito Barjas Negri protocolou ontem (02), na Câmara de Vereadores, projeto de lei que propõe a extinção de 22 cargos em comissão, equipara com redução os salários de diretores e, ainda, acaba com a gratificação dos comissionados. Em quatro anos, com salários e encargos, a Prefeitura irá economizar R$ 7 milhões.

A proposta já havia sido anunciada pelo prefeito no início do governo, como uma maneira de equilibrar as contas. Além de propor a extinção dos 22 cargos (veja quadro abaixo), Barjas Negri irá congelar outros 25 cargos em comissão e fundir duas secretarias, eliminando mais dois cargos de secretários (Turismo e Desenvolvimento Econômico).

Na justificativa do projeto, o prefeito explica que a situação financeira da Prefeitura é crítica, por isso tem sido obrigado a tomar medidas de contenção de gastos públicos, de enxugamento da “máquina” e corte de pessoal. O objetivo é que essa fase seja atravessada sem prejudicar a população com serviços essenciais.

Pelo projeto, a Prefeitura irá economizar, em quatro anos, com salários, encargos e revogação das gratificações, o equivalente a R$ 7 milhões, conforme levantamento de impacto realizado pela Secretaria Municipal de Finanças.

.

CONTINGENCIAMENTO – No início do seu mandato, Barjas Negri assinou o decreto 16.917/17, que compatibiliza as receitas e contingencia recursos para 2017 em mais de R$ 65 milhões. Os percentuais são sobre investimentos (70% obras e equipamentos) e custeio (10%) de verbas passíveis de corte e de 50% em despesas como horas-extras, diárias e passagens, não prejudicando as atividades em andamento de qualquer secretaria municipal, principalmente de Saúde, Educação e Desenvolvimento Social.

A política de contingenciamento é uma ação para fazer frente à diminuição das receitas previstas no orçamento de 2017, no qual parte da despesa do orçamento é contingenciada como forma de gerenciar a execução das despesas e a evolução do comportamento das receitas. “A prática já deu resultado e, juntamente com outras medidas, foi responsável por obter resultado equilibrado das contas da Prefeitura em anos anteriores”, explicou o prefeito.

.

LICITAÇÕES – No último dia 27 de janeiro, também com autorização do prefeito Barjas Negri foram canceladas quatro licitações pela falta de recursos financeiros para a continuidade dos processos licitatórios. As quatro obras tem valor orçado em R$ 19,2 milhões, mas com o contingencimento de 70% dos investimentos, nos cofres só há R$ 1,711 milhão.

Os processos anulados são referentes à construção de uma escola de educação infantil no Jardim Tatuapé e à ampliação da EMEIF José Antonio de Oliveira, do Jardim Bartira. Na área da saúde a nova Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Cristina e, na área da cultura, a reforma do Teatro Municipal Dr. Losso Netto.

No caso da nova UPA da Vila Cristina, o seu custo de construção é de mais de R$ 6,7 milhões. Segundo a Prefeitura, há no Orçamento somente R$ 2,7 milhões. Se considerado o contingenciamento de 70%, há R$ 810 mil para a obra. Segundo o secretário de Saúde, Pedro Mello, já foi enviado ofício ao Ministério da Saúde pedindo ajuda da União para continuar a licitação, porque se trata de uma obra importante para o município.

O prefeito Barjas Negri disse que, no seu ofício, a Prefeitura pede um cofinanciamento, ou seja, o Ministério aportaria recursos de 80% e a Prefeitura o restante, 20% . Se a proposta não tiver o apoio do Ministério da Saúde, o prefeito pretende discutir no momento da elaboração do Orçamento 2018 a alocação de recursos para a obra.

A nova creche do Tatuapé também teve a sua licitação cancelada, porque o seu custo é excessivo, R$ 5,9 milhões, pela sua concepção arquitetônica. Há no Orçamento deste ano apenas R$ 1,5 milhão. Com o contingenciamento, o valor passa a R$ 450 mil. Portanto, insuficiente para a continuidade do certame licitatório. Barjas se reuniu com uma equipe da Secretaria Municipal de Obras e pediu que o projeto inicial da unidade fosse refeito, de forma mais enxuta e básica, perto de R$ 3,5 milhões, de acordo com a realidade econômica atual, para garantir vaga para 200 novas crianças.

A situação da ampliação da escola do Jardim Bartira é a mesma das obras anteriores. O seu custo é de R$ 1,439 milhão. No Orçamento há somente R$ 750 mil, que cai para R$ 223 mil com o contingenciamento. Numa conversa com a equipe da Secretaria de Educação, o prefeito Barjas Negri soube que a maior necessidade naquela região é a ampliação da escola de Ensino Fundamental. Por isso, a Educação e a Semob estão discutindo um projeto para a EMEF e depois para a creche.

No caso do Teatro Municipal Dr. Losso Netto, o valor das obras está estimado em R$ 5,068 milhões. Há no Orçamento R$ 760 mil, que vai para R$ 228 mil com o contingenciamento. O prefeito destacou que os recursos de R$ 228 mil são insuficientes para a continuidade da licitação. Mas já discutiu com o Corpo de Bombeiros e a Secretaria Municipal de Obras o uso deste recurso (R$ 228 mil) para a elaboração do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros). O custo está perto de R$ 350 mil e o prefeito se diz disposto a remanejar recursos para esta despesa, que pode colocar neste ano em funcionamento o Teatro Municipal, com as mesmas apresentações e eventos que ocorriam em 2012. Lamentavelmente, no próximo mês de março, completa-se quatro anos do Teatro fechado.

Por | 03/02/2017|

Pás para turbinas da terceira maior hidroelétrica do mundo são fabricadas em Piracicaba

Foto: Dvulgação

Setenta e duas pás usadas nas turbinas tipo Francis, da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, foram fabricadas em Piracicaba, pela Fundição da Dedini Indústrias de Base. Cada peça, encomendada pela fábrica de turbinas da Alstom, mede cerca de 4,8 m e pesa 16,2 toneladas – o equivalente a 16 carros de passeio, aproximadamente. Construída no rio Xingu, a usina será a maior hidrelétrica 100% nacional e a terceira maior do mundo, com capacidade para abastecer 60 milhões de pessoas em 17 estados brasileiros – 40% do consumo residencial do país –  quando o empreendimento estiver concluído, em 2019.

Segundo Sinval Loyolla, gerente-geral da Fundição Dedini, as pás foram fabricadas em aço inoxidável do tipo ASTM A743 Gr CA6NM. “O grande desafio foi fabricá-las utilizando apenas um forno a arco. Na China, nenhum concorrente nosso hoje é capaz de fazer isso. A dificuldade do processo está em conseguir manter a porcentagem de Carbono em 0,06% no máximo. Já chegamos a fundir, anos atrás, 17 pás de aço inox por mês, atingindo um recorde de 180 pás vazadas em um ano”, diz.

Nas últimas seis pás do Projeto Belo Monte, a Dedini deu passos à frente e utilizou o sistema VOD, o que a equipara em tecnologia aos principais concorrentes no mundo. “O VOD (Vacuum Oxigen Decarburization) é um equipamento de altíssima tecnologia para produção de aço inoxidável e que também pode ser utilizado como VD (Vacuum Degassing), para produção de aços carbono e ligados de alta qualidade”, explica o gerente-geral.

O sistema VOD foi resultado de um investimento de R$ 30 milhões, recurso bancado pela cliente Alstom, para que a Dedini se encarregasse da produção de pás utilizadas nos produtos da empresa produtora de turbinas.

Para produzir as pás das turbinas de Belo Monte, a Fundição Dedini teve que passar por uma qualificação, avalizada pelos engenheiros dos clientes, e pela fabricação de peças protótipos, também submetidas à avaliação técnica.

“Neste momento, estamos utilizando nosso novo VOD como VD. Iniciamos em meados deste ano um novo negócio, produzindo lingotes para forjarias, o que nos proporcionou vendas de 1.832 toneladas já entregues”, informa Loyolla.

.

OUTRAS – “Podemos afirmar que todas as grandes usinas hidrelétricas construídas no Brasil, desde a década de 1970, têm peças da Fundição Dedini”,conta Loyolla.  Nos últimos anos, a empresa forneceu pás para as usinas Jirau, Santo Antonio, Jari, Cachoeira do Caldeirão, Teles Pires, Baixo Iguaçu e São Manoel.

Na antiga planta (junto à Siderúrgica Dedini, hoje ArcelorMittal), a Fundição Dedini fez duas das maiores peças em aço produzidas em todo Brasil até hoje: dois anéis de turbina Francis, para a Usina de Tucuruí (a segunda  maior do país), pesando 110 toneladas  cada um.

 

Por | 17/01/2017|

Câmara de Piracicaba anuncia corte de até R$ 5 milhões em despesas

Foto: Divulgação

“Cortaremos na carne. Custe o que custar, não recuaremos.”. A frase é do presidente da Câmara, vereador Matheus Erler (PTB), aos jornalistas que participaram da coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 4, no Salão Nobre Helly de Campos Melges, onde foram anunciados os diretores dos sete departamentos da Casa de Leis.

Dos R$ 40,5 milhões previstos para o Orçamento em 2017, o presidente estima economia de 10%, ou seja, 4 milhões e 50 mil reais, mas trabalha com uma meta ainda maior: até R$ 5 milhões.

Segundo o presidente, trata-se de economia extrema, como forma de evitar déficit dos cofres públicos no Município, após diálogo da Mesa Diretora da Casa com o atual chefe do Executivo. “A Câmara está em consonância com o atual discurso de austeridade do prefeito Barjas Negri. A Mesa Diretora se reuniu com o prefeito, que passou o real cenário da economia na cidade. Um cenário que preocupa.”

Ao todo serão 40 medidas, a serem anunciadas pela Mesa Diretora em breve. Erler adiantou a revogação das licitações para a compra de frutas e a devolução das máquinas de café e insumos. “Passamos por uma época de vacas magras. Teremos medidas que atingirão servidores, diretores e a todos desta Casa”, adiantou o presidente.

O primeiro secretário da Mesa Diretora, vereador Pedro Kawai (PSDB), lembrou do congelamento dos subsídios dos parlamentares até 2020, votado no segundo semestre de 2015. “Começamos a pensar no contingenciamento das despesas no ano passado. Não queremos que Piracicaba passe por dificuldades e temos que ajudar o município.”

O segundo secretário, vereador André Bandeira (PSDB), acredita que a iniciativa da Câmara em economizar é necessária para manter os serviços essenciais. “Várias cidades da região já deixaram de oferecer atendimentos na Saúde ou em outras áreas, sobrecarregando Piracicaba.”

Ao anunciar os diretores dos departamentos, Erler lembrou que são “pessoas leais e competentes, que exercem o trabalho com o máximo de profissionalismo e dedicação”. A novidade é o nome do advogado Felipe Vieira para o Departamento Jurídico. Até o ano passado, ele atuava como assessor jurídico da presidência, que também estava com Erler.

O Departamento Administrativo-Financeiro permanece com Kátia Garcia Mesquita, no cargo desde 1997 e que completa oito gestões na Câmara, em diferentes mandatos da Mesa Diretora.

O jornalista Carlos Eduardo Gaiad, que ingressou na Casa de Leis em 2009, mantém-se na diretoria do Departamento de Comunicação.

Para o Departamento Legislativo foi confirmado o nome do advogado Fábio Dionísio, que exerce a função desde 2011 e no ano passado acumulou ainda o Departamento Jurídico.

Ademar do Carmo Luciano Junior foi confirmado para o Departamento de Cerimonial, Felipe Marchiori para a TV Câmara e Fábio Bragança para o Departamento de Documentação e Arquivo. Ambos ingressaram na Câmara em 2015.

Por | 05/01/2017|

Sucesso do HB20 produzido em Piracicaba coloca Hyundai entre as mais vendidas

Foto: Divulgação

A Hyundai termina 2016 com a venda de 197.579 automóveis no mercado nacional, resultado que lhe garante a quarta colocação entre as maiores montadoras no País, modificando pela primeira vez em 40 anos a composição das chamadas “Big 4”, grupo que reunia, desde 1976, as mesmas quatro empresas.

No comparativo com o ano passado, a queda nas vendas da Hyundai foi bem menor que aquela verificada no mercado total, de -3,5% frente a -20%, respectivamente. Esse desempenho conferiu à marca sul-coreana crescimento de participação no mercado, passando de 8% em 2015 para 10% em 2016.

A família de veículos compactos HB20, fabricada em Piracicaba, respondeu por 85% do volume comercializado pela Hyundai no Brasil, totalizando 167.647 unidades. No consolidado do ano, o desempenho das vendas do HB20 é superior a 2015, com crescimento de 2,5%. O modelo hatch, com 109.499 unidades, foi o segundo mais vendido no País em 2016.

“O desempenho do HB20 foi determinante para que a Hyundai tivesse uma queda bem menor que a média do mercado e, com isso, conquistasse a quarta posição em vendas no ano. Pela primeira vez desde 1976, temos uma marca diferente entre as quatro grandes do setor automotivo nacional”, comenta William Lee, presidente da Hyundai Motor Brasil.

Segundo ele, quatro fatores foram fundamentais para alavancar as vendas do HB20 ao longo de 2016, mesmo frente à crise econômica, levando à quarta colocação em vendas:

1)         A renovação da linha HB20, ocorrida ao final de 2015, apenas três anos após seu lançamento, encurtou o ciclo de vida habitual do mercado brasileiro, mantendo o HB20 altamente desejado

2)         A exclusiva garantia de cinco anos fez com que o valor de revenda do HB20 fosse bem preservado, facilitando a proprietários de HB20 seminovos a troca por modelos da nova geração no decorrer de 2016

3)         As ações e os investimentos aplicados na rede de concessionárias desde 2012, com foco direto na melhoria do atendimento aos clientes, posicionaram a Hyundai em 2016 entre as marcas melhor avaliadas do País em Pós-Vendas e Assistência Técnica

4)         Por último, a manutenção da operação da fábrica em Piracicaba em três turnos, sem paradas ou demissões, abasteceu o mercado com volume suficiente para responder rapidamente à demanda, motivada por ações como Séries Especiais do HB20 e ampliação das condições de financiamento para atender todos os perfis de cliente.

“A Hyundai reduziu cerca de 10% a produção do HB20 para equilibrar melhor a relação com a demanda do mercado, mas mantivemos os volumes ainda próximos da nossa capacidade máxima, operando em cerca de 90%. Com isso, não nos acomodamos frente aos desafios da crise econômica e, junto com a rede de concessionários, buscamos todas as oportunidades de negócio”, acrescenta Lee.

 

Por | 05/01/2017|

Prefeitura de Piracicaba quita folha de pagamento sem atraso

Foto: Arquivo

A Prefeitura de Piracicaba quitou a folha de pagamento dos servidores municipais, assim como a segunda parcela do 13º, e realizou todos os pagamentos aos seus fornecedores. A folha bruta, que nos demais meses gira em torno de R$ 40 milhões, em dezembro alcançou R$ 71 milhões, incluindo obrigações legais, como o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

A segunda parcela do 13º salário foi paga no dia 19/12 e hoje, 28/12, foram pagos os salários de dezembro. Também foi paga hoje a gratificação, no valor médio de R$ 3.200, a 2.396 profissionais da rede municipal de ensino. A gratificação é garantida pela lei 6568/09, que instituiu o benefício aos docentes, monitores e aos integrantes de classes de suporte pedagógico à docência, em exercício nas unidades escolares e na estrutura da Secretaria Municipal de Educação.

Diante do cenário de crise que afeta todo o país desde 2014, fechar as contas em dia tornou-se mais um desafio para os gestores. De acordo com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), uma pesquisa feita com a maioria das prefeituras mostrou que 57,5% dos gestores teriam de demitir funcionários, nesta reta final do exercício, para fechar as contas e o mandato. Além disso, relatórios de Gestão Fiscal de 2014 e 2015 apontam que o maior grau de endividamento está nos municípios.

“A maior crise econômica da história do país afetou as finanças públicas da Prefeitura nos últimos três anos. Nesse período, adotamos diversas estratégias e realizamos um planejamento para que os efeitos da recessão fossem os menores possíveis a prestação de serviços à população, o que não foi uma tarefa fácil. O planejamento incluiu cortes de gastos e projetos, a manutenção do poder aquisitivo dos servidores públicos e a reserva de recursos para o pagamento dos seus vencimentos – o que considero um direito fundamental de quem trabalha -, além de honrar os contratos assinados com os fornecedores da Prefeitura. Terminamos o ano em dia com os servidores e fornecedores, o que poucos estados e municípios do país conseguiram”, reforça o prefeito Gabriel Ferrato.

“A austeridade com a qual o Governo Municipal foi conduzido possibilitou fechar com as contas em dia, já que a queda na arrecadação foi grande. Em três anos o município deixou de arrecadar aproximadamente R$ 135 milhões”, observou o secretário de Finanças, José Admir Moraes Leite.

Por | 29/12/2016|

IPTU terá reajuste de 7,39% em Piracicaba

Foto: Panorâmico

Foto: Panorâmico

O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) terá reajuste de 7,39% em Piracicaba no próximo ano, 2017. O índice aplicado, segundo a prefeitura, é a inflação acumulada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) dos últimos 12 meses, de acordo com a Lei Municipal 6.640/2009, que define esse índice como parâmetro para atualização monetária de tributos da Prefeitura. Em 2016, o índice de reajuste aplicado foi de 10,97%.

O imposto deverá ser lançado em 10 parcelas e será mantido o desconto de 5,0% para a parcela única, com pagamento à vista. A previsão para vencimento da primeira parcela e da parcela única com desconto é 15 de março de 2017 e para o pagamento parcelado sem desconto é 17 de março de 2017.

Serão lançados cerca de 188.000 imóveis, sendo 43.000 terrenos e 145.000 prédios. A previsão de arrecadação com o imposto em 2017 é de R$ 98,0 milhões. A Secretaria Municipal de Finanças prevê que a entrega dos carnês inicie a partir do início de fevereiro e termine até o início de março de 2017.

Por | 19/12/2016|
Carregar mais conteúdo