Valor do dólar hoje no Brasil: 16 de janeiro de 2018, às 10h50

Às 10h50 desta terça-feira (16), o Dólar operava em alta, sendo vendido próximo de R$ 3,22 reais.

O valor é atualizado periodicamente, para que você fique sempre por dentro do que está acontecendo com a moeda americana.

O Dólar pode ser cotado em duas formas distintas: o dólar comercial e o dólar turismo. Ainda não sabe a diferença entre uma e outra? Então, vamos lá.

Dólar comercial & Dólar turismo:

O Dólar comercial é utilizado pelas grandes corporações para realizar importação e exportação de mercadorias.

Compras feitas no exterior, acordos internacionais do governo, empréstimos a pessoas que residem fora do país, enfim, todas essas transações são feitas perante o Dólar comercial.

Embora a cotação da moeda americana seja definida quase que inteiramente pelo mercado, há a possibilidade do valor ser influenciado por ações do Banco Central, por exemplo, principalmente em casos de desvalorização muito grande entre a moeda americana e o real.

Já o Dólar turismo é a moeda que compramos no momento em que viajaremos ao exterior.

O Dólar turismo é usado como parâmetro para compras de passagens aéreas, gastos em lojas fora do país, etc. Tenha em mente uma coisa: sempre que você for comprar dólar para viajar, acabará pagando a cotação do Dólar turismo, que é mais alta que o comercial.

O dólar:

O dólar dos Estados Unidos (ou “United States dollar”, no idioma original) é a moeda utilizada nos Estados Unidos.

Atualmente, toda circulação da moeda americana — inclusive, sua expedição — é controlada pela Reserva Federal dos Estados Unidos.

A moeda americana encontra-se disponível nas seguintes formas: em papel, “um dólar”, “dois dólares”, “cinco dólares”, “dez dólares”, “vinte dólares”, “cinquenta dólares” e “cem dólares”. Já em moeda, é disponível em “0,01 penny”, “0,05 nickel”, “0,10 dime”, “0,25 quarter”, “0,50 half-dollar coin” e “1,00 dollar coin”.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para continuar lendo, acesse nossa capa em www.piranot.com ou então clique aqui.

Por | 16/01/2018|

Cotação do dólar hoje no Brasil: 15 de janeiro de 2018, às 15h40

Às 15h40 desta segunda-feira (15), o Dólar operava a R$ 3,20 reais.

O valor é atualizado periodicamente, para que você fique sempre por dentro do que está acontecendo com a moeda americana.

O Dólar pode ser cotado em duas formas distintas: o dólar comercial e o dólar turismo. Ainda não sabe a diferença entre uma e outra? Então, vamos lá.

Dólar comercial & Dólar turismo:

O Dólar comercial é utilizado pelas grandes corporações para realizar importação e exportação de mercadorias.

Compras feitas no exterior, acordos internacionais do governo, empréstimos a pessoas que residem fora do país, enfim, todas essas transações são feitas perante o Dólar comercial.

Embora a cotação da moeda americana seja definida quase que inteiramente pelo mercado, há a possibilidade do valor ser influenciado por ações do Banco Central, por exemplo, principalmente em casos de desvalorização muito grande entre a moeda americana e o real.

Já o Dólar turismo é a moeda que compramos no momento em que viajaremos ao exterior.

O Dólar turismo é usado como parâmetro para compras de passagens aéreas, gastos em lojas fora do país, etc. Tenha em mente uma coisa: sempre que você for comprar dólar para viajar, acabará pagando a cotação do Dólar turismo, que é mais alta que o comercial.

O dólar:

O dólar dos Estados Unidos (ou “United States dollar”, no idioma original) é a moeda utilizada nos Estados Unidos.

Atualmente, toda circulação da moeda nos Estados Unidos — inclusive, sua expedição — é controlada pela Reserva Federal dos Estados Unidos.

A moeda americana encontra-se disponível nas seguintes formas: em papel, “um dólar”, “dois dólares”, “cinco dólares”, “dez dólares”, “vinte dólares”, “cinquenta dólares” e “cem dólares”. Já em moeda, é disponível em “0,01 penny”, “0,05 nickel”, “0,10 dime”, “0,25 quarter”, “0,50 half-dollar coin” e “1,00 dollar coin”.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para continuar lendo, acesse nossa capa em www.piranot.com ou então clique aqui.

Por | 15/01/2018|

Cotação do dólar hoje no Brasil: 11 de janeiro de 2018, às 14h50

Às 14h50 desta quinta-feira (11), o Dólar estava cotado em R$ 3,22 reais.

O valor é atualizado periodicamente, para que você fique sempre por dentro do que está acontecendo com a moeda americana.

O Dólar pode ser cotado em duas formas distintas: o dólar comercial e o dólar turismo. Ainda não sabe a diferença entre uma e outra? Então, vamos lá.

Dólar comercial & Dólar turismo:

O Dólar comercial é utilizado pelas grandes corporações para realizar importação e exportação de mercadorias.

Compras feitas no exterior, acordos internacionais do governo, empréstimos a pessoas que residem fora do país, enfim, todas essas transações são feitas perante o Dólar comercial.

Embora a cotação da moeda americana seja definida quase que inteiramente pelo mercado, há a possibilidade do valor ser influenciado por ações do Banco Central, por exemplo, principalmente em casos de desvalorização muito grande entre a moeda americana e o real.

Já o Dólar turismo é a moeda que compramos no momento em que viajaremos ao exterior.

O Dólar turismo é usado como parâmetro para compras de passagens aéreas, gastos em lojas fora do país, etc. Tenha em mente uma coisa: sempre que você for comprar dólar para viajar, acabará pagando a cotação do Dólar turismo, que é mais alta que o comercial.

O dólar:

O dólar dos Estados Unidos (ou “United States dollar”, no idioma original) é a moeda utilizada nos Estados Unidos.

Atualmente, toda circulação da moeda nos Estados Unidos — inclusive, sua expedição — é controlada pela Reserva Federal dos Estados Unidos.

A moeda americana encontra-se disponível nas seguintes formas: em papel, “um dólar”, “dois dólares”, “cinco dólares”, “dez dólares”, “vinte dólares”, “cinquenta dólares” e “cem dólares”. Já em moeda, é disponível em “0,01 penny”, “0,05 nickel”, “0,10 dime”, “0,25 quarter”, “0,50 half-dollar coin” e “1,00 dollar coin”.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para continuar lendo, acesse nossa capa em www.piranot.com ou então clique aqui.

Por | 11/01/2018|

Em 2017, mais de mil empresas foram abertas em Piracicaba

Foto: Júnior Cardoso / PIRANOT

No ano passado, Piracicaba registrou a abertura de 1.321 novas empresas formadas por empreendedores que não se enquadravam como MEI – Microempreendedor Invidual. O tempo médio para abertura de empresas de baixo risco em Piracicaba é de 24 horas. É o que mostra levantamento feito pelo SIL – Sistema Integrado de Licenciamento e agilidade no trâmite para alvará na prefeitura.

Por outro lado, as liberações do Bombeiros e Vigilância Sanitária com aprovação rápida e sem burocracia, podem ser feitas eletronicamente e consequentemente as liberações da Prefeitura são atendidas de forma rápida quando os documentos necessários são protocolados de imediato.

O vice-prefeito José Antonio de Godoy, que também responde pelas pastas de Governo e do Desenvolvimento Econômico, ressalta que Piracicaba se coloca mais uma vez como um município empreendedor, sempre buscando novos caminhos e mecanismos que permitam aos empresários continuarem a investir na cidade, atraídos pelas suas qualidades e disposição dos agentes públicos em permitir que seus negócios operem de forma mais rápida.

Godoy lembra que a Prefeitura, no ano de 2017, procurou agilizar os processos e mecanismos para colocar em funcionamento projetos que estavam parados, como o Distrito Industrial Uninorte, aprovando de forma mais rápida os novos empreendimentos no Conselho de Desenvolvimento Econômico e nas secretarias municipais. Outras empresas deste distrito também abriram novos postos de trabalho e desenvolveram negócios voltados para a exportação.

O secretário de Desenvolvimento Econômico destaca ainda que, mesmo com a crise do setor automobilístico nacional, o Parque Automotivo de Piracicaba continuou no mesmo ritmo de produção sem que houvesse dispensa de funcionários, mantendo o volume de vendas de anos anteriores.

MEIs

Entre 2012 e 2017, o número de Microempreendedores Individuais (MEIs) cresceu 350% em Piracicaba. De acordo com dados do Portal do Empreendedor, até novembro dao ano passado, a cidade contabilizava 16.771 empreendimentos ativos – há cinco anos, o índice era de 4.736 no 11º mês do ano.

Apenas entre janeiro de novembro de 2017, 2.565 inscrições foram registradas no município. “A maior demanda pelo MEI tem relação com a situação econômica do Brasil. Sem emprego com carteira assinada, estimulamos os profissionais a empreender”, explica o secretário municipal do Trabalho e Renda, Evandro Evangelista.

Grande parte dos MEIs ativos na cidade é de cabeleireiro – o segmento responde por 9,3% do total. São 1.521 cadastros, sendo 339 homens e 1.182 mulheres. O comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios é o segundo segmento com maior demanda. Hoje são 1.376 MEIs ativas (8,4% do total). Obras de alvenaria somam 848, o que responde por 5% do total.

Por | 08/01/2018|

Todos detalhes para saque do PIS/Pasep já serão divulgados na segunda-feira (8)

Na próxima segunda-feira (8), as pessoas com mais de 60 anos de idade e que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988 já poderão saber todos os detalhes do saque às cotas dos fundos dos Programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP).

A informação vem do Ministério do Planejamento.

Aliás, há novidades no que concerne à idade mínima para o saque das costas do PIS/PASEP.

Em dezembro de 2017, o atual presidente Michel Temer assinou uma Medida Provisória reduzindo para 60 anos a idade mínima para o saque (agora, não é mais 65 para homens nem 62 para mulheres).

Somado a isso, a Medida Provisória estabeleceu também que os dependentes (ou herdeiros) dos cotistas terão os valores creditados automaticamente em sua conta de banco, mesmo que não sejam clientes Banco do Brasil ou Caixa Econômica.

Para que essa liberação às contas dos dependentes seja possível, o governo já começou a cruzar dados dos bancos e do INSS para que a liberação de recursos seja feita o quanto antes.

Movimentação na economia

De acordo com o ministério, toda essa liberação injetará R$ 7,8 bilhões na economia brasileira agora em 2018, beneficiando cerca de 4,5 milhões de brasileiros.

Quem tem direito ao abono?

Todo trabalhador que contribuiu para o PIS/PASEP até o dia 4 de outubro de 1988 e que não tenha feito o resgate total do saldo do fundo.

A Caixa Econômica (responsável pelo PIS) e o Banco do Brasil (responsável pela administração do Pasep) é quem realiza o pagamento.

A Constituição de 1988 destinou a arrecadação do PIS/Pasep ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), porém o dinheiro arrecadado entre 1971 e 1988 continuou depositado nas cotas dos fundos.

Até 2016, só conseguiam sacar os recursos pessoas com idade superior aos 70 anos ou trabalhadores com invalidez, doenças ou herdeiros de cotistas então falecidos.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para lê-las, acesse nossa capa em www.piranot.com ou então clique aqui.

Por | 05/01/2018|

Semtre Piracicaba está pronta para sanar dúvidas sobre novas regras do MEI

Foto: Júnior Cardoso / PIRANOT

Com as novas regras do MEI, o SEMTRE (Secretaria Municipal do Trabalho e Renda) se põe à disposição de todos para sanar quaisquer dúvidas.

As novas regras passaram a vigorar agora no início do ano, e os microempreendedores individuais (MEIs) devem ficar atentos às mudanças do Simples Nacional.

Em suma, arquivista de documentos, personal trainers, contadores e técnicos contábeis não poderão mais estar registrados como microempreendedores individuais (MEI). Os profissionais desses ramos deverão solicitar o desenquadramento no Portal do Simples Nacional.

Por outro lado, novas profissões foram autorizadas como MEI. Entre elas: apicultores, cerqueiros, locadores de bicicleta, locadores de material e equipamento esportivo, locadores de motocicleta, locadores de video games, viveiristas, prestadores de serviços de colheita, prestadores de serviços de poda, prestadores de serviços de preparação de terrenos, prestadores de serviços de semeadura e de roçagem, destocamento, lavração, gradagem e sulcamento. Todos esses profissionais devem ser independentes.

Novas regras

As novas regras foram sancionadas pelo Comitê Gestor do Simples Nacional no dia 4 de dezembro de 2017. Além das profissões excluídas e incluídas, há novos limites de faturamento.

De acordo com as antigas regras (que valeram até dezembro do ano passado), o valor máximo permitido era de R$ 60 mil por ano. Agora, com a mudança, o valor máximo sobe para R$ 81 mil ao ano.

Quem tiver qualquer dúvida em relação às novas regras do MEI, já pode começar a procurar a SEMTRE (Secretaria Municipal do Trabalho e Renda). Eles estão prontos para atendê-lo.

Contribuições do MEI

Por meio do Documento de Arrecadação (DAS), o microempreendedor individual paga:

  • Contribuição previdenciária relativa à pessoa do empresário, na qualidade de contribuinte individual, no valor de 5% do limite mínimo mensal do salário de contribuição;
  • R$ 1 a título de ICMS;
  • R$ 5 de ISS, caso seja contribuinte desses impostos.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para lê-las, acesse nossa capa em www.piranot.com ou então clique aqui.

Por | 03/01/2018|

Procon orienta sobre pagamentos no débito automático

O serviço de débito oferece uma série de praticidade ao consumidor.

Além de ser aceito em praticamente todos os estabelecimentos comerciais, ele permite também que você faça as compras do dia a dia de forma eficiente.

O débito nada mais é que produto de pagamento, pois debita o dinheiro da conta de forma automática, como se o comprador estivesse retirando o montante em dinheiro em tempo real.

Apesar das facilidades do serviço, o debito automático exige atenção.

Para ajudar os consumidores com essa tarefa, o Procon/SP (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo) dá algumas dicas. Confira.

Controle a sua conta

É fundamental que o consumidor tenha controle sobre sua conta bancária e verifique se há saldo disponível nas datas dos débitos.

O serviço não conta com horários exatos

Apesar das facilidades do serviço, o débito pode ocorrer a qualquer hora do dia programado para o pagamento.

Anotações minimizam os erros

O consumidor deve sempre consultar sua conta e marcar o que foi ou não pago.

Essa consulta pode ser feita pelo celular – por meio do próprio aplicativo do banco –, pela internet ou caixa eletrônico.

A consulta por extratos garante um controle maior da conta.

Atente-se a saldo insuficiente

É fundamental que o consumidor veja se em sua conta há saldo suficiente para que o pagamento automático se concretize.

Caso não haja saldo suficiente, o banco cobre sua despesa, mas depois te cobra taxas pela operação.

Fuja dessas taxas.

Conta em débito automático

Confira se na conta cadastrada há a informação “Conta em débito automático”.

Nesse serviço, você escolhe quais contas colocará no débito automático e, no dia do vencimento, o valor é descontado automaticamente de sua conta.

Débito automático só vale mediante solicitação

Para contas em débito automático, o consumidor deve se atentar que é necessário fazer a solicitação no banco.

O mesmo acontece para casos de cancelamento ou suspensão.

Sempre mantenha seus dados atualizados

Caso o consumidor troque de banco, o fornecedor deve ser comunicado para que a atualização dos dados seja feita.

Direito de escolha

É importante que o consumidor saiba que ele possui o direito de escolher de qual forma efetuará o pagamento.

A opção de pagamento pode ser feita tanto de forma automática quanto na convencional.

A possibilidade de débito direto na conta não pode ser imposta pela instituição financeira.

Problemas

Em caso de problemas com cobrança, o consumidor deve entrar em contato com seu banco.

Se o problema não for resolvido, o consumidor deve procurar o Procon.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para lê-las, acesse nossa capa em www.piranot.com ou então clique aqui.

Por | 27/12/2017|

Prefeitura faz cortes e economiza mais de R$ 3,5 milhões em 2017

A Prefeitura de Piracicaba informou esta semana que conseguiu economizar R$ 3.562.451,00 reais por meio de redução de horas extras.

Segundo a Prefeitura, de janeiro a dezembro deste ano, as horas extras diminuíram de 890.569 (computadas em 2016) para 718.764, agora em 2017. A redução, em números, é de 19,29% — ou seja, 171.805 horas a menos.

Barjas Negri, o atual prefeito, comenta que as medidas vieram desde o começo de sua gestão, e enfatiza que elas têm como objetivo precípuo conservar a saúde financeira da cidade.

A redução de horas extras se deu em quase todas as pastas.

Mesmo focando na economia de contas para obtenção de uma gestão mais eficiente, a Prefeitura afirma que houve todo o cuidado para que o atendimento ao público não se sucateasse.

Cortes

Uma das primeiras ações tomadas em busca de uma economia foi contingenciar recursos.

A contingência se deu primeiro no valor de R$ 65 milhões, e depois, por meio de decretos (ao perceberem que as previsões de receitas não acompanhariam o índice inflacionário), em mais R$ 10 milhões.

Os cortes se deram, sobretudo, em investimentos (70% obras/equipamentos) e custeio (10%) de verbas passíveis de corte.

Despesas como horas-extras, diárias e passagens tiveram corte de 50%.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para lê-las, acesse nossa capa em www.piranot.com ou clique aqui.

Por | 22/12/2017|

Índice de Confiança do Consumidor Piracicabano cai em dezembro

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), levantamento feito mensalmente pelo Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba (Sincomércio Piracicaba), apresentou uma pequena queda agora em dezembro.

A queda foi de 0,06% se comparado a novembro, fechando em 109,8 pontos.

O índice varia de zero (pessimismo total) a 200 (otimismo), e apesar da queda, o otimismo do consumidor piracicabano segue intacto, visto que o valor continua acima de 100.

Outra retração registrada foi a do Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA). O ICEA passou de 86,5 para 81,6 pontos, indicando queda de 5,7%.

“A queda no ICC foi motivada por uma deterioração na confiança econômica atual”, comentou Itacir Nozella, presidente do Sincomércio Piracicaba. “Porém essa queda ainda não nos preocupa, haja visto que o ICEA vinha de três altas consecutivas e significativas”.

Já o Índice de Expectativas do Consumidor (IEC) apresentou aumento. O IEC passou de 126,5 em novembro para 128,6 pontos agora em dezembro, indicando aumento de 1,7%. Trata-se, aliás, da segunda alta consecutiva do IEC.

Índice de Confiança do Consumidor

Desde fevereiro de 2017, o ICC é apurado todos os meses pelo Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba (Sincomércio Piracicaba).

O objetivo é fazer um termômetro o mais próximo possível da realidade, levando em conta as condições econômicas das pessoas e suas expectativas quanto ao futuro.

O levantamento é feito a partir de uma coleta de dados com 601 consumidores do município.

Sincomércio Piracicaba

O Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba e Região é o órgão representativo dos empresários do setor varejista de sete cidades — Piracicaba, Águas de São Pedro, Charqueada, Saltinho, São Pedro, Tietê e Torrinha.

O Sincomércio foi fundado em 1942 e possui, atualmente, oito mil contribuintes.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para lê-las acesse nossa capa em www.piranot.com ou clique aqui.

Imagem: divulgação

Por | 21/12/2017|

“Planejamento estratégico é essencial em 2018”, afirma docente do Senac

Foto: Divulgação

Por mais que a economia apresente altos e baixos, é trivial que acreditemos numa melhora do PIB (Produto Interno Bruto).

Exatamente uma semana após o governo elevar sua previsão de crescimento da economia brasileira de 2017 para 2018, economistas e especialistas do mercado financeiro também decidiram apostar nessa confiança.

De acordo com dados do relatório “Focus”, o mercado espera que o PIB brasileiro cresça de 0,96% em 2017 para 2,64% em 2018.

Conseguinte a um aumento no PIB, temos também um aumento no número de empregos.

Segundo pesquisa da consultoria Deloitte, 63% das 750 empresas entrevistadas pretendem fazer novos investimentos em 2018, enquanto que 41% delas pretendem aumentar seu número de funcionários.

Com todo esse otimismo, é preciso também uma série de cuidados. Saber qual a melhor forma de direcionar o crescimento dos negócios é fundamental, e por isso o Senac Piracicaba lança, já para 2018, um curso inédito de pós-graduação em Finanças Corporativas.

Curso

O curso de pós-graduação em Finanças Corporativas tem como objetivo precípuo auxiliar os empresários na gestão de suas empresas.

“Neste momento, o investimento na formação continuada é um diferencial, principalmente para os empreendedores que desejam ampliar seus conhecimentos na área financeira e no desempenho da empresa”, comenta Emílio Antonio Amstalden, professor de pós-graduação do Senac Piracicaba.

Para ele, os pontos a serem abordados no curso terão papel determinante no cenário econômico do ano que está por vir e devem auxiliar categoricamente as empresas na busca por estabilidade e crescimento.

“Embora as projeções de indicadores econômicos sejam relativamente tímidas, as estimativas têm gerado boas expectativas”, diz ele. “No entanto, isso não basta, porque quaisquer mudanças alteram o cenário rapidamente. É preciso ter um plano minucioso [de planejamento estratégico] em mãos”.

Mais informações:

Para saber mais sobre o curso de pós-graduação do Senac, clique aqui para ir ao site deles.

As inscrições seguem até o dia 1 de março de 2018.

Serviço:

Inscrições – Pós-graduação lato sensu presencial – 1º semestre de 2018
Período: até 1 de março de 2018
Taxa de inscrição: R$ 50 reais
A inscrição pode ser feita aqui.

Inscrições – Pós-graduação lato sensu a distância – 1º semestre de 2018
Período: até 1 de março de 2018
Taxa de inscrição: R$ 20 reais
A inscrição pode ser feita aqui.

O Senac Piracicaba situa-se à Rua Santa Cruz nº 1148, Bairro Alto.

O PIRANOT / PORJUCA tem mais notícias. Para lê-las, acesse nossa capa em www.piranot.com ou clique aqui para ser redirecionado.

Por | 19/12/2017|

Prefeitura de Piracicaba discute LOA e não aposta em retomada econômica em 2018

Foto: Fabrice Desmonts / Câmara de Piracicaba

Em audiência sobre a Lei Orçamentária Anual (LOA) realizada na noite de ontem (8), no plenário da Câmara de Vereadores de Piracicaba, o secretário municipal de finanças, José Admir de Moraes Leite, mostrou-se preocupado com o desempenho econômico do país para 2018.

Com isso, há dúvidas também para a arrecadação no município.

“Em 2018, a gente não vê horizonte que ela [situação econômica do país] possa melhorar”, comentou.

No projeto de lei 261/2017, responsável por orçar a receita e fixar a despesa de Piracicaba para o exercício financeiro do próximo ano (encaminhado pelo Executivo Municipal), a previsão é de R$ 1.693.091.100,00 para 2018, um valor 6,30% maior que a receita deste ano – orçada em R$ 1.593.373.779,00.

Diminuição de repasses

O secretário chamou atenção ainda à política do governo federal de diminuição de recursos, concomitante ao repasse de obrigações aos municípios.

“A gente vê diminuição na saúde, na educação e na área social”, disse, enfatizando que o SUAS foi “praticamente extinto”.

“De tudo o que é arrecado pelo Estado nacional, 57% fica no governo federal, 25% no governo estadual e somente 18% é transferido aos municípios”, informou o secretário.

O repasse ao SUAS (Sistema Único de Assistência Social) foi talhado em 97% a nível nacional, prejudicando serviços oferecidos no CRAS e CREAS.

Mais impactos em 2018

A atual crise econômica gera efeito colateral também nos repasses a nível estadual, como é o caso do Fundo de Participação dos Municípios.

No índice, o muncípio de Piracicaba tem praticamente caído de 1,1695% em 2014 para 1,1139% em 2016.

O Fundo de Participação dos Municípios é um repasse que a União faz aos Estados e o Distrito Federal.

O valor desse repasse é calcado em 22,5% do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

O resultado? Menos investimentos.

Em 2018, é esperado, segundo a Secretaria de Finanças, que Piracicaba conte somente com R$ 63 milhões para novos projetos.

O valor é 5% do total previsto na arrecadação da LOA.

Mudanças

Mesmo com esses impactos, foram apresentadas mudanças no PPA (Plano Plurianual) 2018-2021 e na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) 2018. O motivo é a inclusão de ações na LOA 2018.

Uma dessas mudanças prevê R$ 200 mil para a casa de abrigo às mulheres vítimas de violência.

Convocada pela Comissão Permanente de Orçamento e Finança, a audiência de ontem foi presidida por Gilmar Rotta (PMDB).

A votação da Lei Orçamentaria Anual de 2018 deve acontecer na quarta-feira, 29 de novembro, às 14 horas.

Por | 09/11/2017|

Preço da gasolina e do diesel é reajustado mais uma vez pela Petrobras

Em seis meses, consumidor sentiu um aumento de aproximadamente R$ 0,30 por litro de gasolina no país

Foto: Arquivo

A Petrobras autorizou ontem (06), mais uma alta de 2,3% para a gasolina e aumento de 1,9% para o diesel nas suas refinarias. Os aumentos entraram em vigor a partir de hoje.

O aumento acontece, segundo a empresa, devido principalmente ao aumento das cotações dos produtos e do petróleo no mercado internacional.

A decisão foi tomada pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP), que antecipa suas reuniões periódicas quando o reajuste dos combustíveis varia mais de 7% para cima ou para baixo no período aproximado de um mês.

Em um mês, o preço da gasolina nas refinarias já acumula aumento de mais de 9%. Em novembro, há elevação de 6,6%, após alta também de 6,6% em outubro.

O reajuste se refere aos preços para as refinarias. O repasse ou não do aumento para o consumidor final depende dos postos de combustíveis. Na semana passada, o valor dos combustíveis nas bombas voltou a subir, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Estudos apontam que de março à novembro deste ano, o litro ficou quase R$ 0,30 centavos mais caro. Ou seja, o consumidor passou a gastar R$ 15 a mais para completar um tanque de 50 litros. Isso varia de acordo com a região do país.

Por | 07/11/2017|
Carregar mais conteúdo