Relembre as novelas da Globo gravadas em Piracicaba e do SBT e Record na região

Publicado no dia 24/11/2017 às 15:25Por: Redação - PIRANOT / PORJUCA

Foto: Reprodução

Sendo uma das principais do cidades do país e uma das mais promissoras, Piracicaba sempre teve seu espaço na televisão. Das famosas pamonhas ao rio, citados em telejornais e programas, o município também pode ser visto em novelas.

No ano de 2003 Piracicaba parou para acompanhar as gravações de “Agora que São Elas”, novela das seis da TV Globo, que se passava em uma cidade pequena do interior, no caso Piracicaba, só que ela tinha outro nome na trama.

As cenas realizadas em Piracicaba foram gravadas no Parque da Rua do Porto e na Ponte Pênsil. Elas mostravam o romance adolescente entre Elis (Sthefany Brito) e Hugo (Max Fercondini), alunos do Centro Educacional de Bocaiúvas. Esse colégio, pela localização da gravação, ficava no Engenho Central, e uma das saídas dele era pela ponte pênsil.

Veja essa cena a seguir:

>>> Começa a partir de 31 minutos e 00 segundos.

Além dos pontos turisticos, edifícios, imagens panorâmicas e aéreas de Piracicaba foram usadas com frequências entre os capítulos. Uma delas era da ponte do Morato, no Nova Piracicaba, que mostrava o rio e ao fundo os prédios da cidade desenvolvida.

O tema central de “Cidade das Mulheres” é a história da luta do vilarejo de São Francisco das Formigas pela independência em relação à cidade de Bocaiúvas, ou seja Piracicaba. Ao mesmo tempo que os formiguenses travam esta batalha eles passam a viver um conflito interno: a inversão dos papéis – as mulheres assumem cada vez mais um papel ativo na sociedade, dominando a economia local, e os homens, com escassa oferta de emprego, têm de se dedicar às tarefas domésticas.

Outra novela que se passou em Piracicaba foi “Pé na Jaca”. Diferente da anterior, Piracicaba era citada com frequência pelos personagens, principalmente pela personagem de Juliana Paes que recentemente viveu a Bibi, de “A Força do Querer”.

Assim como a anterir, imagens panorâmicas da cidade, do nosso rio e de edifícios da cidade foram usadas com frequência no começo do horário nobre da Globo.

“Pé na Jaca” começa em 1984, quando cinco crianças se conhecem numa fazenda da pequena cidade de Deus Me Livre, próxima à Piracicaba, interior de São Paulo. Ali, sem se darem conta das diferenças sociais que os separam, os cinco pequenos passam as férias juntos e juram amizade eterna. Eles chagam a nadar em um rio, que seria o Piracicaba. Entretanto, os anos se passam, e os cinco nunca mais se reuniram novamente. Até que, por um revés do destino, todos se veem tendo de recomeçar a vida, e escolhem justamente Deus Me Livre para viverem uma nova história.

Com pouca estrutura, alguns personagens precisam ir à Piracicaba em busca de atendimento médico ou de emprego. Personagens mais ricos moravam em Piracicaba e é nessas horas que, além de citada, imagens da cidade eram mostradas.

“Pé na Jaca” obteve média geral de 29,5 pontos de audiência na grande São Paulo, ou seja, cada capítulo foi visto em 1,8 milhões de domícilios, não sendo considerada um sucesso. Esse ibope para os dias atuais, com popularização da internet e da TV à cabo, é altíssimo.

Na região

Cidades da micro-região de Piracicaba também receberam gravações de novelas, só que do SBT e da Record. É o caso de “Canavial de Paixões” e “Escrava Mãe”, respectivamente.

No caso de “Canavial de Paixões”, a trama foi gravada em Iracemápolis. Sua transmissão ocorreu entre 13 de outubro de 2003 e 22 de março de 2004, totalizando 115 capítulos. A trama é inspirada na telenovela mexicana “Cañaveral de pasiones” e marcou média geral de 12 pontos, ou seja, foi assistida por 720 mil domicílios da grande São Paulo, sendo um sucesso de audiência para o SBT.

Diversas cenas da novela foram gravadas na cidade. A que mais era exibida mostrava a Usina Iracema. A igreja da praça principal de Iracemápolis foi usada em diversas cenas. A mais marcante e assistida por toda a população local é a que Paulo, vivido por Gustavo Haddad, sequestra seu amor de infância, Clara, vivida por Bianca Castanho, antes que ela suba ao altar com outro personagem. Os dois viviam um amor proíbido. Isso ocorreu no capítulo 72. Assista a partir de 04 minutos e 08 segundos do vídeo a seguir a cena citada e, em seguida, diversas imagens panorâmicas da cidade que o SBT levou ao ar:

O que deixava a população ainda mais em extase era que além da cidade, a população aparecia na trama, seja como figurantes ou porque a emissora gravava imagens nas ruas dos pedestres e levava ao ar, como pode ser vista acima.

A música do Rouge, “Um anjo veio me falar”, tocada para os personagens, estourou em todo o país e foi um sucesso.

Já a novela “Escrava Mãe” não foi nenhum pouco bem no ibope, 10 pontos – 600 mil domícilios na grande São Paulo. Suas cenas, de época, foram gravadas em fazendas de Rio Claro e mobilizou muitos figurantes, todos contratados na própria cidade.

E ai, gostou de relembrar? Compartilhe o link nas redes sociais.

Qual sua opinião? Comente!