Apenas 52,31% do público prioritário se vacinou em Piracicaba

Publicado no dia 19/05/2017 às 17:10Por: Redação - PiraNOT.com

Foto: Divulgação

Até quarta-feira (17), apenas 52,31% do público-alvo estabelecido pelo Ministério da Saúde (MS) haviam sido vacinados contra a gripe (Influenza) em Piracicaba. Os idosos correspondem à maior cobertura (64,09%), seguidos dos profissionais da saúde (54,39%). O público com menor proteção são as crianças de 6 meses e menores de 5 anos (28,94%). Dentre as gestantes, 37,72% receberam a dose, mais 39,13% das puérperas (mães que tiveram filhos nos últimos 45 dias). Foram vacinadas também  5. 317 pessoas com alguma comorbidade, além de 1.164 professores. No total, foram imunizadas 50.780 pessoas.

A vacina é gratuita e pode ser tomada em todos os postos de saúde da cidade até o dia 26 de maio, quando termina oficialmente a campanha nacional. O resultado, até o momento, está muito abaixo da meta estabelecida pelo MS, que é vacinar 90% do público prioritário, composto por idosos, crianças de 6 meses a menos de 5 anos, profissionais da saúde, gestantes, puérperas, professores da rede pública e privada, bombeiros, policiais civis e militares, profissionais da defesa civil e dos Correios.
Para a Secretaria de Saúde, é importante que as mães se sensibilizem e levem seus filhos aos postos de saúde, porque trata-se do público com a menor cobertura. De acordo o secretário da pasta, dr. Pedro Mello, este é um momento de muita preocupação porque as pessoas não estão compreendendo o risco que é ficar sem a imunização. “A gripe é uma doença evitável com a vacina, mas pode levar a óbito em caso de complicação, quando há o risco da síndrome respiratória. Nos casos graves, o índice de óbito pode alcançar 30%. E o público-alvo, estabelecido pelo MS, é o mais vulnerável, principalmente com a chegada do inverno”, explicou.
PREVENÇÃO – A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.
É importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar, imediatamente, o médico. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Qual sua opinião? Comente!